Coleção Chris Marker


Coleção composta por 6 filmes do Chris Marker.

Coleção de 6 filmes do escritor, editor, ilustrador, documentarista, fotógrafo e cineasta francês Chris Marker, morto em 29 de julho 2012. Chris Marker foi realizador prolífico e configurou-se, ao lado de Jean-Luc Godard e François Truffaut, como expoente da Nouvelle Vague. Marker foi capaz de expressar em suas produções as mudanças nas marés políticas e sociais, mantendo a coerência estética e política, sem jamais deixar de analisar o poder das imagens ou de se reinventar. Seus filmes transitam entre a documentação feita por fotomontagens, e uma atmosfera de ficção e sonho, criada pelo caráter ensaístico marcado pela narração e comentários filosóficos do autor ou dos atores.



Filmes da coleção

2084

2084

(França 1984). De Chris Marker. Com François Perier. Em cores/10’.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em DVD

Sinopse

O sujeito devia ser “um século de sindicalismo”. Porém, é difícil fazer caber isto em 10 minutos. Mas talvez 2 séculos, quem sabe?
Disponivel somente com legendas em inglês.
  • A Embaixada
  • A Embaixada
  • A Embaixada

A Embaixada

L'Ambassade (França 1975). De Chris Marker. Em cores/27’.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em DVD

Sinopse


Naquele tempo, em caso de golpe de estado, às vezes os oponentes políticos se refugiavam dentro das embaixadas.

Filme anônonimo em super 8, encontrado dentro de uma Embaixada. Somente disponível com legendas em inglês.
  • A Sexta Face do Pentágono
  • A Sexta Face do Pentágono
  • A Sexta Face do Pentágono

A Sexta Face do Pentágono

La Sixième face du Pentagone (França 1967). De Chris Marker. Em cores/27’.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em DVD

Sinopse


Em 21 de outubro de 1967, uma gigantesca manifestação aconteceu em Washington DC contra a guerra do Vietnã. A palavra de ordem “ ação imediata” se dá como objetivo de ocupar simbolicamente o prédio do Pentágono, considerado como o coração da máquina militar. O filme segue esta ação passo a passo.

  • Até logo, eu espero
  • Até logo, eu espero
  • Até logo, eu espero

Até logo, eu espero

À bientôt, j'espère (França 1967). De Chris Marker. Em preto e branco/45’.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em DVD

Sinopse


Em 1967, uma greve de um novo gênero (ocupação, reivindicações, animação cultural) eclode na usina Rhodiaceta em Besançon. A reportagem foi julgada inaceitável pela ORTF (órgão público de rádio e TV francês da época) que a proibiu. Ao término de um interessante confronto, ele é exibido, junto com um debate entre gente séria, que acrescenta algo ao pitoresco desta aventura e que será mostrado aqui pela primeira vez.

  • Já que dizem que é possível
  • Já que dizem que é possível

Já que dizem que é possível

Puisqu’on vous dit que c’est possible (França 1973). De Chris Marker. Em cores/43’.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em DVD

Sinopse


Cinco anos depois de maio de 68, os trabalhadores de LIP se lançam em um descontrolado empreendimento de autogestão, que faz um estrondo imediato. Mas a guerra entre os sindicatos arrisca paralisar o trabalho de Roger Louis, cuja cooperativa Scopitone reuniu uma documentação considerável. Para afastar o golpe, ele pede a C. M. que se responsabilize pela montagem.

Disponível somente com legendas em inglês.
  • O Fundo do Ar é Vermelho
  • O Fundo do Ar é Vermelho
  • O Fundo do Ar é Vermelho

O Fundo do Ar é Vermelho

Le Fond de l'air est rouge (França 1977). De Chris Marker. Em cores/180’.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em Betacam, DVD

Sinopse


As esperanças e as decepções suscitadas pelos movimentos revolucionários de 68 no mundo inteiro. Desde o regime chinês ao cubano, passando pela Primavera de Praga ou os movimentos estudantis e operários franceses, Marker nos relembra constantemente que não se pode simplificar o que nada tem de simples: as manifestações populares, os movimentos da política, os rumos incertos da História e da sociedade.
O filme é composto por duas partes: "As mãos frágeis" e "As mãos cortadas", ambas com 90 min (versão de 1998).
Com as vozes de: Jim Broadbent , Cyril Cusack , Laurence Guvillier, Davos Hanich , François Maspero, Yves Montand François Périer Sandra Scarnati Jorge Semprún Simone Signoret.

Betacam

DVD