Documentários

Há 496 registros disponíveis.

Documentários

  • Custe o que custar
  • Custe o que custar

Custe o que custar

Coûte que coûte (França 1996). De Claire Simon. Em cores/90’.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em IFcinéma

Sinopse


A diretora filmou durante seis meses a luta constante que uma pequena empresa leva para sobreviver e pagar as despesas e os salários dos seus empregados, para ela a comédia trágica do trabalho, tudo o que somos levados a fazer para viver em nosso mundo.

IFcinéma

  • D'un mur l'autre Berlin-Ceuta
  • D'un mur l'autre Berlin-Ceuta
  • D'un mur l'autre Berlin-Ceuta

D'un mur l'autre Berlin-Ceuta

(França 2008). De Patrick Jean. Em cores/90’. Classificação etária 14 anos.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em DVD

Sinopse


Do antigo muro de Berlim ao recente fechamento de Ceuta em terra africana, este road-movie nos faz atravessar a Europa. Quatro fronteiras pelo menos, mas apenas um eixo: uma sociedade mestiça, multicultural, rica em suas diversidades apesar de suas tradições de rejeito. Crônica de encontros com alguns desraigados vindos da Sardenha, do Congo, da Bolívia e da Romênia, tantas histórias de valor e de dignidade, com uma energia selvagem em sua busca.

DVD

  • Dans les décombres
  • Dans les décombres

Dans les décombres

(França 2008). De Olivier Meys. Em cores/85’. Classificação etária 14 anos.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em DVD

Sinopse


"Hutong" era típico da velha Pequim: casas no final de un pátio no final de uma rua estreita, perpetuando os pequenos ofícios e uma recordação da cidade. A preparação dos Jogos Olímpicos foi fatal para eles. Os últimos hutongs, ao sul da Cidade Proibida, desaparecem sobre os golpes das escavadoras, das expropriações brutais, de vãos protestos e da especulação. Desenha-se o retrato do bairro, uma história da China de hoje.

DVD

  • De larges détails - Sur les traces de Francis Alys
  • De larges détails - Sur les traces de Francis Alys

De larges détails - Sur les traces de Francis Alys

(França 2006). Em cores/56’.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em DVD

Sinopse

Um filme de Julien Devaux.


Francis Alys, artista contemporâneo belga, é ao mesmo tempo pintor, videoartista e intervencionista urbano. Há quinze anos instalado no México, fez da megalópe um laboratório para sua busca incansável e estranha fazendo do passeio uma arte; ele percorre as ruas a pé vertendo um fio de pintura, ou arrastando um brinquedo imantado que acaba coberto de sucata urbana, ou ainda empurrando um bloco de gelo até derreter... Julien Devaux nos faz descobrir esta obra única e poética.

DVD

  • De Volta à Normandia
  • De Volta à Normandia
  • De Volta à Normandia
  • De Volta à Normandia

De Volta à Normandia

Retour en Normandie (França 2007). De Nicolas Philibert. Em cores/113’. Classificação etária 14 anos.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em DVD

Sinopse

Em 1975, Nicolas Philibert foi assistente de direção de René Allio em "Eu, Pierre Rivière, que degolei minha mãe, minha irmã e meu irmão", baseado num crime local descrito em livro pelo filósofo Michel Foucault. Filmado na Normandia, a alguns quilômetros de onde aconteceu o triplo assassinato, o traço mais especial do trabalho de Allio era o fato de que todos os personagens do filme foram interpretados por camponeses da região. Trinta anos depois, Philibert retorna à Normandia para reencontrar estes atores de ocasião, personagens da vida real. * Seleção Oficial Fora de Competição no Festival de Cannes 2007.

DVD

Dernière tombe à Dimbaza

Dernière tombe à Dimbaza

Last Grave At Dimbaza (África do Sul, França 1972). Em cores/55’.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em DVD

Sinopse


Dirigido por Nana Mahamo e filmado clandestinamente na África do Sul em 1972, este documentário desvenda a política do Aparthaid. Ele descreve as condições de vida inumanas dos negros neste país, onde falar sobre Aparthaid já levaria à prisão. Dimbaza era um destes guetos de confinamento com seu cemitério de crianças mortas por desnutrição. Em muitas das imagens da época, Nana Mahamo reconstitui as diferentes etapas da colonização europeia na África do Sul. Com suporte de dados estáticos, o filme mostra como eram enraizados o racismo e as desigualdades do Aparthaid.

DVD

Este filme requer a autorização do distribuidor para cada solicitação de locação.

  • Deserto Blues
  • Deserto Blues

Deserto Blues

Desert Blues (França, Mali 2006). De Michel Jaffrenou. Em cores/60’. Classificação etária 12 anos.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em DVD

Sinopse

"Desert Blues, entre a areia e a água", é uma viagem musical guiada pelo mestre das marionetes Yaya Coulibaly no coração do Mali contemporâneo. Entre o real e o imaginário, Michel Jaffrennou coloca em cena um conto musical com três dos grandes artitas malis: Habib Koité, afel Bocoun e o grupo de mulheres touaregues Tartit. Vindos de diferentes grupos étnicos, cada um desses artistas ilustra a influência do Sahara nas tradições musicais dessas pessoas.

DVD

  • Diga a Meus Amigos que Eu Morri
  • Diga a Meus Amigos que Eu Morri
  • Diga a Meus Amigos que Eu Morri
  • Diga a Meus Amigos que Eu Morri

Diga a Meus Amigos que Eu Morri

Dites à mes amis que je suis mort (França 2003). De Nino Kirtadzé. Em cores/87’.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em DVD, IFcinéma

Sinopse


Mingrélie, Géorgia. Um carro faz uma irrupção na sala de uma casa antes de ser coberto por uma cortina negra. Os mortos e seus objetos fazem parte da vida cotidiana. Então, eles bebem e depois riem, comem, choram bastante... A família do defunto nunca está sozinha: Os próximos estão lá, a rádio; a televisão, e quando começa a cerimônia de condolências, tudo se mistura, o outro lado da morte é confundido, o real entra em metamorfose: alegria de viver e mistério da morte, inseparáveis, como se a vida celebrasse sua vitória sobre a morte. Tudo isso sob o olhar de uma mulher, Nino.
* FIPA D'OR 2004 Cinéma du Réel 2004- Prêmio Marcorelles *

DVD

IFcinéma

  • Divagações em um Quarto de Hotel
  • Divagações em um Quarto de Hotel

Divagações em um Quarto de Hotel

Divagations dans une chambre d?hôtel (França 2005). Em cores/25’.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em DVD

Sinopse

Filme de Philippe Barcinski, Dainara Toffoli.


De que maneira a palavra se articula com a linguagem corporal ? Como o movimento e o pensamento podem interagir, sobretudo em um corpo único? A partir destes questionamentos, Bruno Beltrão cria Eu e meu Coreógrafo no 63, espetáculo cuja remontagem cinematográfica resulta no filme Divagations. A interposição de imagens urbanas, fragmentadas e multiplicadas, acentuam a tensão e o caráter deslocado do solo. Seduzido pela street dance em 1993, quando tinha 13 anos, Beltrão não tarda a destacar-se como um dos seus principais representantes no Brasil. Para ele, o hip hop é a base da sua expressão. No entanto, com o Grupo de Rua de Niterói (sua cidade natal), que ele funda três anos mais tarde com Rodrigo Bernardi, o que este artista busca não é tanto se destacar, mas liberar-se de códigos e clichês: “o hip hop colocou em órbita um vocabulário rico e inovador. Agora, é preciso fazer com que entre em crise. Ao nos distanciarmos e dissecarmos o seu vocabulário, poderemos descobrir novas estéticas”. É neste sentido que ele tem trabalhado, com extraordinária maturidade, desde as suas primeiras obras, recorrendo sobretudo a processos de criação usados na dança contemporânea. Por sua dimensão intimista, pelo domínio da composição gestual, pela partitura sonora, constituída pela voz do dançarino, pela palavra em constante busca do sentido, Eu e meu Coreógrafo é um exemplo característico da linguagem elaborada por Bruno Beltrão. M. B.
DVD 2 da coleção "Paisagens Coreográficas Contemporâneas".

  • Divina Comédia
  • Divina Comédia
  • Divina Comédia

Divina Comédia

(França 2010). De Vincent Guetta. Em cores/21’.

Sinopse, Solicitar a locação deste filme, Disponível em IFcinéma

Sinopse

No sexto dia, Deus criou o homem. Depois, o homem criou a máquina.

IFcinéma