Cineastas do Nosso Tempo

Cineastas do Nosso Tempo


Rio de Janeiro e São Paulo, 16/10 a 09/11/2012

A mostra de filmes Cineastas, do nosso tempo traz, para a CAIXA Cultural do Rio de Janeiro, de 16 a 28 de outubro e no Cine Olido em São Paulo, de 2 a 9 de novembro, uma seleção de títulos da série Cinéastes, de notre temps, criada em 1964, para a televisão francesa, por André S. Labarthe e Janine Bazin, e que ganhou uma retrospectiva no Centre Georges Pompidou ano passado.

A série é formada por filmes sobre cineastas feitos por cineastas e críticos ligados à revista Cahiers du Cinéma que, exibidos em conjunto, traçam um panorama da história do cinema de autor a partir de seus grandes mestres. Entre os títulos que serão exibidos estão alguns realizados nos anos 60 e 70, como o de Renoir feito por Rivette, Dreyer por Rohmer, Godard em diálogo com Fritz Lang, Cassavetes por André Labarthe e, mais recentemente, os de Straub-Huillet por Pedro Costa e Rivette por Claire Denis.

Para complementar a programação serão apresentados na CAIXA Cultural do Rio três filmes de diretores brasileiros (Chantal Akerman, de cá, Belair e A etnografia da amizade) e promovidos dois encontros com o público - a conferência "Filmar o ato de criação. Cineastas do nosso tempo e a poética do cinema", com curador Pedro Maciel Guimarães, na quarta-feira, dia 17, às 19h; e um debate sobre as relações entre cinefilia e critica, com José Carlos Avellar, Daniel Caetano e mediação da curadora Patrícia Mourão, na quarta-feira, dia 24, às 18h30.

O início da Cinéastes, de notre temps é contemporânea da consagração da Nouvelle vague e, uma de suas criadoras, Janine Bazin pretendia que a realização dos filmes fosse confiada aos jovens cineastas do movimento, que fariam registros de outros cineastas que eles tinham como mestres. A editoria dos Cahiers du Cinéma compareceu em peso aos filmes da série: em um primeiro momento, nos anos 60 e 70, André S. Labarthe, André Fieschi, Jacques Rivette, Eric Rohmer, Jean Louis Comolli, Claude Givray e Jean Douchet, e depois, do início dos anos 90 até hoje, Olivier Assayas, Jean Pierre Limosin e Alain Bergala. Pensada sob a forma de “retratos” de cineastas, a ideia da série era fazer uma versão filmada das longas entrevistas com grandes diretores do cinema mundial através do olhar de um jovem cineasta cinéfilo. Com o tempo, a forma de entrevistas filmadas deu lugar a ensaios mais pessoais e poéticos sobre as obras dos cineastas em questão. Como se tratam de obras audiovisuais e não de textos, os filmes da série permitem a um cineasta “jovem” inserir no filme assinado por ele sua marca autoral, ao mesmo tempo que ele aborda vários pontos estéticos e históricos da obra de um diretor homenageado.

Informações práticas
Rio de Janeiro
16 a 28 de outubro
Caixa Cultural, Av. Almirante Barroso, 25, Centro
Ingressos: R$2,00 (inteira) e R$1,00 (meia)
http://www.caixacultural.com.br

São Paulo
2 a 9 de novembro
Cine Olido, Av. São João, 473
http://www.prefeitura.sp.gov.br

Ordenar por: título | data de exibição | cidade

Programação

A etnografia da amizade

(Brasil 2007). De Ricardo Miranda. Em cores/’.

Sinopse, Rio de Janeiro

Sinopse


Encontro de Ricardo Miranda com Paulo César Saraceni, diretor de Porto das Caixas e O desafio, cineasta de difícil rotulação, de filmografia ímpar e escolhas estéticas radicais. Miranda foi montador de alguns filmes de Saraceni, como Amor, carnaval e sonhos e Anchieta, José do Brasil.

Rio de Janeiro

  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    27/10/2012 às 19h
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro
  • A Nouvelle Vague por ela mesma
  • A Nouvelle Vague por ela mesma

A Nouvelle Vague por ela mesma

La Nouvelle Vague par elle-même (França 1995). De Robert Valley. Com Agnès Varda, Jean-Luc Godard. Em preto e branco/58’.

Sinopse, Rio de Janeiro

Sinopse


Após o sucesso de seus primeiros filmes, Varda, Rosier, Demy, Chabrol, Godard, Franju, Rouch, Rivette, Truffaut, Pollet, falam à sua maneira sobre o cinema: É a Nouvelle Vague que nasce. Com trechos de seus filmes e entrevista com Henri Langlois, o filme narra harmoniosamente o entusiasmo dos primeiros filmes, o triunfo em Cannes em 1959, e sobretudo o espírito aventureiro e de ruptura que foi o coração desse movimento.

Rio de Janeiro

  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    16/10/2012 às 19h
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro
  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    27/10/2012 às 13h
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro

A primeira onda 1

La première vague 1 (França 1968). De Jean-André Fieshi, Noël Burch. Em cores/76’.

Sinopse, Rio de Janeiro

Sinopse

com Jean Mitry, Jean Dréville, Marcel L’Herbier, Alberto Cavalcanti, Michel Duran, Henri Diamant-Berger, Eve Francis, Georges Franju, Jacques Siclier, Claude Ollier, Ado Kyrou


Dedicado aos diretores do cinema mudo que integram a “primeira avant-garde francesa” ou “escola impressionista”: Louis Delluc, Germaine Dulac, Jean Epstein e Marcel L’Herbier, cineastas hoje pouco conhecidos. O título original, La première vague, é uma tentativa de pensar esses cineastas e a Nouvelle Vaguecomo parte de uma mesma tradição.

Rio de Janeiro

  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    16/10/2012 às 15h
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro
  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    28/10/2012 às 17h30
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro

A primeira onda 2

La première vague 2 (França 1968). De Jean-André Fieshi, Noël Burch. Em cores/76’.

Sinopse, Rio de Janeiro

Sinopse

com Jean Mitry, Jean Dréville, Marcel L’Herbier, Alberto Cavalcanti, Michel Duran, Henri Diamant-Berger, Eve Francis, Georges Franju, Jacques Siclier, Claude Ollier, Ado Kyrou


Dedicado aos diretores do cinema mudo que integram a “primeira avant-garde francesa” ou “escola impressionista”: Louis Delluc, Germaine Dulac, Jean Epstein e Marcel L’Herbier, cineastas hoje pouco conhecidos. O título original, La première vague, é uma tentativa de pensar esses cineastas e a Nouvelle Vaguecomo parte de uma mesma tradição.

Rio de Janeiro

  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    16/10/2012 às 17h
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro
  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    28/10/2012 às 19h
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro

Alain Cavalier, 7 capítulos, 5 dias, 2 cômodos e cozinha

Alain Cavalier, 7 chapitres, 5 jours, 2 pièce-cuisine (França 1995). De Jean-Pierre Limosin. Em cores/55’.

Sinopse, Rio de Janeiro

Sinopse


Minimalista, o filme, rodado na casa do diretor de Thérèse, foca suas mãos, seus objetos, fotografias e quadros, criando um retrato de rara intimidade de um autor que nos últimos anos enriqueceu a forma das autobiografias e diários filmados com suas produções intimistas.

Rio de Janeiro

  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    19/10/2012 às 17h
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro

Belair

(França 2009). De Bruno Safadi, Noa Bressane. Em cores/80’.

Sinopse, Rio de Janeiro

Sinopse


Noa Bressane, filha de JulioBressane, e Bruno Safadi, assistente dele em Filme de amor e Cleópatra, voltam à história da Belair, produtora cinematográfica dos cineastas Julio Bressane e Rogério Sganzerla – que realizou, em 1970, sete filmes em apenas cinco meses. Censurados pela ditadura miliar, os cineastas saíram do país, e os filmes permanecem pouco conhecidos até hoje.

Rio de Janeiro

  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    26/10/2012 às 19h
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro

Chantal Akerman, de cá

(Brasil 2010). De Gustavo Beck. Em cores/62’.

Sinopse, Rio de Janeiro

Sinopse


Em câmera fixa e praticamente sem cortes, Beck filma a conversa da diretora de Jeanne Dielman, 23 Quaidu Commerce, 1080 Bruxelles e Leonardo Luiz Ferreira, em que a cineasta evoca suas referências de cinema e sua concepção do documentário.

Rio de Janeiro

  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    23/10/2012 às 19h
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro

De um silêncio, outro

D’un silence l’autre (França 1967). De André S. Labarthe. Em cores/51’.

Sinopse, Rio de Janeiro

Sinopse

Com Josef von Sternberg, Claude Chabrol


O filme nasce de um encontro entre Janine Bazin, André Labarthe e Josef von Sternberg, promovido por Henri Langlois, e é composto pelas evocações do diretor de O anjo azul em torno de sua obra e da sua atriz-fetiche, Marlene Dietrich. O título vem dos silêncios introduzidos na montagem.

Rio de Janeiro

  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    17/10/2012 às 14h50
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro
  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    27/10/2012 às 15h
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro

Diourka, pegar ou largar

Diourka, à prendre ou à laisser (França 2011). De André S. Labarthe, Estelle Fredet. Em cores/59’.

Sinopse, Rio de Janeiro

Sinopse


Nascido em 1930, na Hungria, Georges Meveczy, “Diourka”, se instala na França em 1948, onde, apoiado por Picasso, vira escultor.Entre 1968 e 1969, ele realiza três filmes, todos eles estrelados por Bernadette Lafont, então sua esposa. Em 1969, ele encerra sua carreira como cineasta e se retira para o campo, onde vive até hoje.

Rio de Janeiro

  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    19/10/2012 às 19h
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro
  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    25/10/2012 às 14h30
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro

E no entanto eles filmam

Et pourtant ils tournent (França 1966). De Claude Nahon. Em cores/95’.

Sinopse, Rio de Janeiro

Sinopse


Jovens cineastas que estavam fazendo seus primeiros filmes em meados dos anos 1960: Jean Eustache (A mãe e a puta), Luc Moullet (Brigitte e Brigitte), Alain Jessua (Entoute innocence), ou que ainda não tinham filmado, caso de André Téchiné (Rosas selvagens).

Rio de Janeiro

  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    20/10/2012 às 15h30
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro
  • Caixa Cultural - Rio de Janeiro
    26/10/2012 às 17h
    Av. Almte. Barroso , 25, Rio de Janeiro