Jaguar

Jaguar

(França 1967).

De Jean Rouch. Documentário em cores/72’.

Quando começou a filmar Jaguar, em 1954, o cineasta e etnólogo Jean Rouch queria estudar a migração dos jovens que saíam do Níger para procurar trabalho (e também aventura e fortuna) na Costa do Ouro, atual Gana. Mas “é muito difícil fazer um documentário sobre migrações”, ele diria em 1981; “assim, decidimos fazer um filme de ficção”. Não havia "argumento". Rouch apenas escolheu os migrantes que filmaria e os acompanhou por um ano, registrando um "diário de viagem" quase todo sem som. Depois, em estúdio, pediu-lhes que comentassem o que se passava na tela – e os personagens revelaram um fantástico poder de improvisação. Em seu primeiro longa-metragem, Rouch inventava um recurso que confundia as fronteiras entre documentário e ficção. As convenções da linguagem documental foram efetivamente subvertidas, dando lugar à fabulação e à construção de uma nova realidade em película. Extras no DVD: Os tambores do passado [1971, 11 min]

Em DVD/Vídeo