O tio da Rússia

O tio da Rússia

L'Oncle de Russie (França 2006).

De Francis Girod. Com Claude Brasseur. Em /90’.

Durante a Segunda Guerra Mundial, os alemães enviaram muitos prisioneiros para os stalags da URSS. Ao final da guerra, a maioria daqueles prisioneiros foi mandada pelas autoridades soviéticas para campos de trabalho forçado, pois faltava mão de obra para reconstruir o país. Em plena guerra fria, esses homens foram declarados desaparecidos pelo governo russo e nenhum contato com o ocidente foi tolerado ou autorizado. Para as famílias e os governos estrangeiros, eles eram mais comumente dados por mortos. Gaston Boissac é um desses prisioneiros. Detido na União Soviética desde 1945, nem a família, ou a noiva, ou o prefeito do vilarejo natal de Soulières recebeu as inúmeras cartas que ele lhes enviara. Aos olhos de todos, ele estava desaparecido e seu nome até constava do monumento aos mortos do vilarejo. Mas com a chegada ao poder de Gorbatchev e a implantação da Perestróica, em 1989, as relações leste-oeste melhoraram consideravelmente. E é assim que no ano de 1989, aos 70 anos de idade, Gaston Boissac volta finalmente a Soulières. Uma volta que emociona todo o vilarejo…