Adèle Haenel

(1989)



Participação nos filmes

  • A garota desconhecida
  • A garota desconhecida

A garota desconhecida

La fille inconnue (Bélgica, França 2016). De Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne. Com Adèle Haenel, Jérémie Renier. Em cores/153’.

Sinopse

Sinopse

Certa noite, após encerrar o atendimento no consultório, Jenny, uma jovem médica, escuta a campainha, mas não atende. No dia seguinte, a polícia informa que uma jovem desconhecida foi encontrada morta perto dali.
  • A revolução em Paris
  • A revolução em Paris

A revolução em Paris

Un peuple et son roi (Bélgica, França 2019). De Pierre Schoeller. Com Adèle Haenel, Gaspard Ulliel, Olivier Gourmet. Em cores/121’.

Sinopse

Sinopse

Em 1789, sob o reinado de Luís XVI, o povo francês rebela-se contra a monarquia e exige uma transformação na sociedade baseada nos princípios de liberdade, igualdade e fraternidade. Cruzando as histórias de homens e mulheres comuns com figuras históricas, traça-se o destino do Rei e o surgimento da República.

A revolução em Paris

Un peuple et son roi (Bélgica, França 2019). De Pierre Schoeller. Com Adèle Haenel, Gaspard Ulliel, Olivier Gourmet. Em cores/121’.

Sinopse

Sinopse

Em 1789, sob o reinado de Luís XVI, o povo francês rebela-se contra a monarquia e exige uma transformação na sociedade baseada nos princípios de liberdade, igualdade e fraternidade. Cruzando as histórias de homens e mulheres comuns com figuras históricas, traça-se o destino do Rei e o surgimento da República.
  • A revolução em Paris
  • A revolução em Paris
  • A revolução em Paris

A revolução em Paris

Un peuple et son roi (Bélgica, França 2019). De Pierre Schoeller. Com Adèle Haenel, Gaspard Ulliel, Olivier Gourmet. Em cores/121’.

Sinopse

Sinopse

Em 1789, sob o reinado de Luís XVI, o povo francês rebela-se contra a monarquia e exige uma transformação na sociedade baseada nos princípios de liberdade, igualdade e fraternidade. Cruzando as histórias de homens e mulheres comuns com figuras históricas, traça-se o destino do Rei e o surgimento da República.

Alyah

(França 2011). De Elie Wajeman. Com Adèle Haenel, Cédric Kahn, Pio Marmai. Em cores/90’.

Sinopse

Sinopse

Alex, aos 27 anos de idade, tem a impressão de que não tem feito nada com a sua vida. Ele fica sempre à sombra de seu irmão Isaac, que ganha a vida vendendo maconha. Alex vê uma válvula de escape quando seu primo diz para que vai abrir um restaurante em Israel. Determinado, ele começa a juntar algum dinheiro para acompanhar o parente no novo empreendimento. Mas para embarcar nessa nova vida ele terá de deixar tudo para trás, incluindo Paris, sua amada cidade, Esther, sua velha paixão, Mathias, seu melhor amigo e Jeanne, uma garota que ele acabou de conhecer.
Amor à Primeira Briga

Amor à Primeira Briga

Les Combattants (França 2014). De Thomas Cailley. Com Adèle Haenel, Antoine Laurent, Kévin Azaïs. Em cores/98’.

Sinopse

Sinopse

Entre seus amigos e o negócio da família, parece que o verão de Arnaud vai ser tranquilo. Tranquilo até ele conhecer Madeleine, uma garota bonita e temperamental que deseja servir o exército. Enquanto Arnaud desfruta da paz e gosta de transformar madeira em objetos, Madeleine sua até o limite e consome sardinha crua para manter o físico. Até onde chegará a relação dos dois? * Quinzena dos Realizadores – Festival de Cannes 2014 ** César 2015 – Prêmio de Melhor Atriz, Melhor Revelação Masculina e Melhor Primeiro Filme
  • Finalmente livres
  • Finalmente livres
  • Finalmente livres

Finalmente livres

En liberté! (França 2017). De Pierre Salvadori. Com Adèle Haenel, Audrey Tautou, Pio Marmai. Em cores/108’.

Sinopse

Sinopse

Em uma cidade na Riviera Francesa, a detetive Yvonne é a jovem viúva do chefe de polícia Santi, um herói local. Quando ela descobre que seu marido não era exatamente o modelo de virtude tão idealizado pelo seu filho, e que o jovem rapaz, Antoine, passou 8 anos na prisão como bode expiatório de Santi, ela é jogada em um redemoinho. Yvonne quer fazer tudo o que ela pode para ajudar o atraente Antoine a recuperar sua vida e sua esposa. Tudo, no caso, menos dizer a verdade.
  • O Homem Que Elas Amavam Demais
  • O Homem Que Elas Amavam Demais
  • O Homem Que Elas Amavam Demais

O Homem Que Elas Amavam Demais

L'homme Qu'on Amait Trop (França 2014). De André Techiné. Com Adèle Haenel, Catherine Deneuve, Guillaume Canet. Em cores/116’.

Sinopse

Sinopse

Nice, 1976. Renée Le Roux é a dona do Palais de la Méditerranée, o último casino da Riviera Francesa que ainda não foi tomado pelo poderoso mafioso Fratoni. Renée faz o que pode para enfrentar seu poderoso rival, até que sua filha Agnès se apaixona por Maurice, o conselheiro financeiro da família que é ligado ao inimigo. Baseado em fatos reais.
  • Retrato de uma jovem em chamas
  • Retrato de uma jovem em chamas
  • Retrato de uma jovem em chamas

Retrato de uma jovem em chamas

Portrait de la jeune fille en feu (França 2019). De Celine Sciamma. Com Adèle Haenel, Noémie Merlant. Em cores/119’.

Sinopse

Sinopse

França 1770. Uma pintora é contratada para fazer o retrato de casamento de uma jovem mulher que acabou de deixar o convento. A jovem é uma noiva relutante, e a artista deve retratá-la em segredo, passando a observá-la ao longo do dia para pintá-la durante a noite. Ambas se aproximam ao longo do tempo e compartilham os últimos momentos de liberdade antes do casamento iminente.
  • Suzanne
  • Suzanne
  • Suzanne

Suzanne

(Bélgica, França 2013). De Katell Quillevéré. Com Adèle Haenel, Sara Forestier. Em cores/91’.

Sinopse

Sinopse

Suzanne e Maria são irmãs muito próximas. Eles tiveram uma infância feliz, apesar da ausência de sua mãe, que morreu quando ainda eram pequenas. Nicolas, seu desajeitado e amoroso pai comanda a casa da melhor maneira que pode, até o dia em que Suzanne fica grávida. Com o nascimento de Charly a família se torna maior. Os anos passam e Suzanne encontra Julien e se apaixonam perdidamente. Ela foge com ele abandonando todos e deixando tudo para trás.