Agnès Varda

Agnès Varda

(1928)

Biografia

Nascida em Bruxelas, filha de pai grego e com 4 irmãos, Agnès Varda é uma cineasta e roteirista radicada na França. Seu primeiro diploma foi em fotografia, sua grande paixão. Ela é viúva do cineasta francês Jacques Demy. Juntos eles tiveram um filho, o ator  o ator Mathieu Demy, que atuou em alguns dos filmes de seus pais, como Kung-fu Master e Documenteur, dentre outros, e uma filha chamada Rosalie Varda, que seguiu a carreira de figurinista, tendo atuado apenas em três filmes, sendo dois de seu pai e um de sua mãe.
Ela já realizou curtas, longas, ficções e documentários.

Agnès Varda foi membro do júri no Festival de Veneza em 1983 e no Festival de Cannes em 2005. Ela ganhou ainda um César d'honneur pelo conjunto de sua obra em 2001.




Participação nos filmes

Muros e Murmúrios

Mur Murs (França 1980). De Agnès Varda. Em cores/81’.

Sinopse

Sinopse

Documentário sobre os “murais” de Los Angeles, ou seja, as pinturas sobre os muros da cidade. Quem as pinta? Quem as paga? Quem as olha? Como esta cidade, que é a capital do cinema, se revela sem trucagens – e com seus habitantes – através destes muros murmurantes. Prêmio no Festival dei Popoli de Florença 1981 Prêmio Josef von Stenberg em Mannheim 1981

O Amor dos Leões

Lions Love (França 1969). De Agnès Varda. Com Agnès Varda, Eddie Constantine, Hal Landers, Jerry Ragni, Jim Morrison, Jim Rado, Max Laemmle, Richard Bright, Shirley Clarke, Steve Kenis. Em cores/110’.

Sinopse

Sinopse

“Três atores – Viva, Jim, Jerry, a caminho do “estrelato” e da não menos difícil maturidade – vivem numa casa alugada sobre uma colina de Hollywood. Eles tem todos jubas de leão, falam muito e às vezes ao mesmo tempo. Tudo se passa em 1968, quando Robert Kennedy faz sua campanha eleitoral, ganha e vê-se vítima de um atentado que causará sua morte. Os três leões-atores vivem, à sua maneira, esta página da história americana, através do que mostra a televisão. Trata-se, evidentemente, mais de uma crônica que de uma estória, até porque os atores interpretam mais ou menos seus próprios papéis.” (Agnès Varda)
  • O Leão Volátil
  • O Leão Volátil
  • O Leão Volátil
  • O Leão Volátil

O Leão Volátil

Le Lion Volatil (França 2003). De Agnès Varda. Com David Deciron, Frédérick E, Grasser-Hermé, Julie Depardieu, Valérie Donzelli. Em cores/12’.

Sinopse

Sinopse


Curta aventura em torno de uma estátua de leão entre Clarisse, aprendiz de vidente, e Lazare, funcionário das Catacumbas de Paris.
* Prêmio do Público de Melhor Curta-metragem no Festival de Films de Femmes de Créteil 2004;
* Seleção oficial dos Festivais de Veneza, Chicago, Viena 2003 e de Berlim 2004.

DVD 3 da coleção "Varda - Todos os Curtas" - Les Courts "Parisiens".

O Mestre do Kung-Fu

Kung Fu Master (França 1987). De Agnès Varda. Com André Six, Andrew Birkin, Aurélien Hermant, Begônia Leis, Charlotte Gainsbourg, Cyril Houplain, David Birkin, Eva Simonet, Franck Laurent, Gary Chekchak, Jane Birkin, Mathieu Demy, Ninon Vinsonneau. Em cores/78’.

Sinopse

Sinopse

Durante uma primavera chuvosa, uma mulher perto dos 40, Mary-Jane, apaixona-se por um garoto de 15 anos, Julien, colega de classe de sua filha, Lucy. Mary-Jane entedia-se em sua vida de divorciada com duas filhas. Ela vê e revê o adolescente Julien, que tenta fazê-la interessar-se por sua paixão: os video-games, em especial Kung-Fu Master, jogo no qual um lutador de kung-fu deve bater todos seus adversários para resgatar Sylvia. Após o retorno de uma escapadela numa ilha, as famílias de ambos reestabelecem a “normalidade” e Mary-Jane não verá mais Julien, sofrendo por sua ausência. Será que ele a amou de verdade? Ou ela teria sido para ele apenas mais uma diversão?
O Universo de Jacques Demy

O Universo de Jacques Demy

L´Univers de Jacques Demy (Bélgica, Espanha, França 1995). De Agnès Varda. Com Anouk Aimée, Catherine Deneuve, Jeanne Moreau. Em cores/88’.

Sinopse

Sinopse

Cinco anos após a morte do seu marido Jacques Demy, Agnès Varda íniciou essas perambulações no universo do cineasta, ilustradas por trechos do seus filmes e de entrevistas do seus atores, amigos e colaboradores, entre os quais Anouk Aimée, estrela do seu primeiro filme, «Lola», Catherine Deneuve, Jeanne Moreau, Dominique Sanda, Michel Piccoli e seu compositor favorito Michel Legrand...

O Universo de Jacques Demy

L'univers de Jacques Demy, (França 1993). De Agnès Varda. Em cores/80’.

Sinopse

Sinopse

Alguns anos após a morte de seu marido, Jacques Demy, Agnès Varda flana pelo universo do cineasta, ilustrando seu mergulho com trechos de seus filmes e entrevistas com seus atores, amigos e colaboradores, dentre os quais: Anouk Aimée, estrela de seu primeiro filme, Lola, Catherine Deneuve, Jeanne Moreau, Dominique Sanda, Michel Piccoli e seu fiel compositor, Michel Legrand.
  • Oh, Estações! Oh, Castelos!
  • Oh, Estações! Oh, Castelos!
  • Oh, Estações! Oh, Castelos!

Oh, Estações! Oh, Castelos!

Ô saisons, ô châteaux! (França 1957). De Agnès Varda. Em cores/22’.

Sinopse

Sinopse


Passeio pelos castelos do vale do Loire, apresentados em ordem cronológica (de construção), com comentários incluindo poemas do século XVI e reflexões de seus jardineiros.
* Seleção francesa do Festival de Cannes 1958 *.
DVD 1 da coleção "Varda - Todos os Curtas" - Les Courts "Touristiques".

  • Os Amantes da Ponte Mac Donald
  • Os Amantes da Ponte Mac Donald
  • Os Amantes da Ponte Mac Donald
  • Os Amantes da Ponte Mac Donald

Os Amantes da Ponte Mac Donald

Les Fiancés du Pont Mac Donald (França 1961). De Agnès Varda. Em preto e branco/5’.

Sinopse

Sinopse


Um jovem vê tudo negro quando põe os óculos escuros. Basta o arrancar para que as coisas se ajeitem...
DVD 3 da coleção "Varda - Todos os Curtas" - Les Courts "Parisiens".

Os Catadores e eu

Les Glaneurs et la Glaneuse (França 2000). De Agnès Varda. Com Agnès Varda, Bodan Litnanski, François Wertheimer. Em cores/82’.

Sinopse

Sinopse

Por toda a França, Agnès Varda encontra catadores e catadoras, respigadores e recuperadores. Por necessidade, acaso ou escolha, eles entram em contato com os restos dos outros. A partir de um célebre quadro de Millet, o filme de Varda é um olhar sobre a persistência na sociedade contemporânea dos respigadores, aqueles que vivem da recuperação de coisas (detritos, sobras) que os outros não querem ou deixam para trás. A catadora, nesse sentido, é a própria Agnès Varda, que experimentando pela primeira vez uma pequena câmara digital, se quer assumir como uma “recuperadora” das imagens que os outros não querem ver nem fazer, e que portanto deixam para trás (“le filmage est aussi glanage”). Um filme lúcido e livre, mediado pelas “mãos que envelhecem” da própria cineasta. Seleção oficial no Festival de Cannes 2000 Prêmio Méliès de Melhor Filme Francês 2000 Prêmio da Academia Européia de Melhor Documentário 2000 Prêmio do Público no Festival de Montreal 2000 Hugo de Ouro do Festival de Chicago 2000 Prêmio de Melhor Documentário nos Festivais de Boston e Santa Bárbara 2001 Melhor Filme pelo Sindicato de Críticos Franceses 2001 Prêmio de Melhor Filme de não-ficção do Sindicato de Críticos de Los Angeles e do Círculo de Críticos de Nova Iorque 2001 Melhor Filme no Festival de Praga 2001 Melhor Documentário pela Associação de Críticos Americanos 2002
  • Os Panteras Negras
  • Os Panteras Negras
  • Os Panteras Negras
  • Os Panteras Negras

Os Panteras Negras

Black Panthers (França 1968). De Agnès Varda. Em cores/28’.

Sinopse

Sinopse


No verão de 68, os Panteras Negras de Oakland (Califórnia) organizaram vários debates de conscientização em torno do processo de um de seus líderes, Huey Newton. Eles queriam – e conseguiram – chamar a atenção dos americanos e mobilizar as consciências negras, durante esse processo político. Neste sentido, deve-se realmente datar este documento: 1968.
* Prêmio no Festival de Oberhausen 1970 *.
DVD 1 da coleção "Varda - Todos os Curtas" - Les Courts "Contestataires".