Catherine Deneuve

Catherine Deneuve

(1943)

Biografia

Catherine Deneuve, nome artístico de Catherine Fabienne Dorléac, (Paris, 22 de outubro de 1943) é uma atriz francesa, considerada um modelo de elegância e beleza galesa e uma das mais respeitadas atrizes do cinema francês e mundial. Filha do ator de teatro e cinema Maurice Dorleac e irmã da também atriz Françoise Dorléac, Deneuve estreou no cinema aos 13 anos, em 1956, e durante a adolescência trabalhou em diversos pequenos filmes com o diretor Roger Vadim até chegar ao estrelato mundial em 1964, em <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Os Guarda Chuvas do Amor</span>, do diretor Jacques Demy. Nos anos 1960, Deneuve fez a reputação de símbolo sexual frio e inacessível através de filmes em que interpretava donzelas lindas e frígidas como <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">A Bela da Tarde</span> de Luis Buñuel e <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Repulsa ao Sexo</span> de Roman Polanski.<br /><br />Descoberta por Roger Vadim, (também descobridor de Brigitte Bardot e responsável pela transformação de Jane Fonda em símbolo sexual com o filme Barbarella) com quem teve um relacionamento amoroso e um filho (Christian Vadim), Deneuve foi casada com o famoso fotógrafo de moda londrino David Bailey (em quem o diretor italiano Michelangelo Antonioni se basearia para criar o principal personagem na sua obra-prima cinematográfica Blow-Up), e após o fim do casamento, envolveu-se com o ator italiano Marcello Mastroianni, com quem teve uma filha, Chiara Mastroianni, em 1972. <br />Durante os anos 1960 e 70, Catherine Deneuve teve uma rica carreira cinematográfica, estrelando filmes de sucesso internacional como <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">A Sereia do Mississipi</span>, <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Mayerling</span>, <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Tristana</span>, <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Pele de Asno</span>, entre outros, que além de a afirmarem como a grande estrela do cinema europeu da época, a transformaram no sinônimo de beleza francesa, fazendo dela a musa da alta costura da França, principalmente do estilista Yves Saint-Laurent e o rosto dos perfumes Chanel (o Chanel Nº 5, ligado a seu rosto e sua imagem, foi o mais vendido e famoso perfume do mundo por mais de duas décadas), levando-a a substituir Brigitte Bardot como a efígie de Marianne, a figura feminina oficial da República da França, estampada em selos e moedas do país.<br />Nos anos 1980, Deneuve continuou fazendo trabalhos importantes em <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">O Último Metrô </span>de François Truffaut e <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Fome de Viver</span>, de Tony Scott, junto com Susan Sarandon e David Bowie, no papel de uma vampira gótica e bissexual, que a transformaria num ícone de lésbicas, gays, góticos e novos artistas da década de 1980. Deneuve sobreviveu como ícone do cinema nos anos 1990, recebendo seu segundo César (o maior prêmio do cinema francês) e uma indicação ao Oscar de melhor atriz pelo filme <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Indochina</span>, de 1992, que naquele ano ganharia o Oscar de melhor filme estrangeiro da Academia de Hollywood. Teve um sucesso mundial com <span style="font-style: italic;"><span style="font-weight: bold;"></span></span><span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Dançando no Escuro</span>, de Lars Von Trier, com a cantora e atriz islandesa Bjork, Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes em 2000 e <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">8 Mulheres</span> de François Ozon (2002), ao lado de algumas das maiores atrizes francesas como Fanny Ardant e Emmanuelle Béart.




Participação nos filmes

  • Bem Amadas
  • Bem Amadas
  • Bem Amadas
  • Bem Amadas
  • Bem Amadas

Bem Amadas

Les Bien-aimés (França, Grã-Bretanha (Reino Unido, UK), República Tcheca 2011). De Christophe Honoré. Com Catherine Deneuve, Chiara Mastroianni, Louis Garrel, Ludivine Sagnier. Em cores/135’.

Sinopse

Sinopse


De Paris, nos anos 60, até Londres, nos nossos dias: Madeleine e a filha Vera vão e vêm pelas suas vidas e pelas dos homens que amam. Mas o amor pode ser luminoso e amargo, feliz e doloroso. Como resistir à passagem do tempo e seu combate a nossos sentimentos mais profundos?


Estreia nacional: 13 de Julho de 2012
  • Catherine Deneuve, bela e bem aqui
  • Catherine Deneuve, bela e bem aqui
  • Catherine Deneuve, bela e bem aqui

Catherine Deneuve, bela e bem aqui

Catherine Deneuve, belle et bien la (França 2009). De Anne Andreu. Com André Techiné, Arnaud Desplechin, Catherine Deneuve, Gérard Depardieu. Em cores/51’.

Sinopse

Sinopse

Catherine Deneuve zomba da fama, mas faz muito tempo que a glória faz dela um ícone que ocupa o nosso imaginário. A estrela não deixa que se aproximem facilmente, mas quando se ganha a sua confiança, ela desata a falar. Se a carreira de Catherine Deneuve narra meio século de cinema, ela testemunha também a força de uma geração que conheceu as mais fortes transformações do mundo.

Dançando no Escuro

Dancer in the Dark (Dinamarca, França 1999). De Lars Von Trier. Com Björk, Catherine Deneuve. Em cores/140’. Classificação etária 12.

Sinopse

Sinopse

Uma sonhadora imigrante tcheca na América acaba sendo vítima de uma grande armadilha que a conduz até seu trágico final.
  • De Cabeça Erguida
  • De Cabeça Erguida
  • De Cabeça Erguida

De Cabeça Erguida

La Tête haute (França 2014). De Emmanuelle Bercot . Com Benoît Magimel, Catherine Deneuve, Rod Paradot. Em cores/120’.

Sinopse

Sinopse

A juíza Florence Baque conhece Malony quando tinha apenas seis anos, devido à negligência de sua mãe em cuidá-lo. Os anos passam e Malony torna-se um jovem delinquente, que rouba carros e agride as pessoas à sua volta, tanto verbalmente quanto fisicamente. Diante da situação, a juíza o encaminha para um centro de recuperação de delinquentes juvenis e ele passa a ter Yann como tutor. Obrigado a seguir as novas regras, Malony faz o possível para manter sua liberdade e intransigência.
  • Diário Perdido
  • Diário Perdido
  • Diário Perdido
  • Diário Perdido
  • Diário Perdido

Diário Perdido

Mères et filles (Canadá, França 2009). De Julie Lopez-Corval. Com Carole Franck, Catherine Deneuve, Marie-Josée Croze, Michel Duchaussoy. Em cores/105’. Classificação etária 14 anos.

Sinopse

Sinopse


Ao visitar os pais na sua cidade natal, na França, Audrey descobre o diário de sua avó, a única lembrança de uma mulher que abandonou sua família cerca de 50 anos antes. A busca de Audrey por compreensão, revela um segredo familiar guardado em silêncio pelos anos, que vai, em última instância, esclarecer a relação que tem com a mãe.

  • Duas Garotas Românticas
  • Duas Garotas Românticas
  • Duas Garotas Românticas

Duas Garotas Românticas

Les Demoiselles de Rochefort (França 1967). De Jacques Demy. Com Catherine Deneuve, Danielle Darrieux, Françoise Dorleac, Jacques Perrin, Michel Piccoli. Em cores/91’.

Sinopse

Sinopse

Delphine e Solange são duas irmãs gêmeas encantadoras e espirituosas de 25 anos. Delphine, a loira, dá aulas de dança e Solange, a ruiva, aulas de música. Elas vivem então da música e sonham ir para Paris e ter uma vida de fantasias. Alguns empresários chegam à cidade e passam a frequentar o bar que é da mãe delas. Uma grande feira é promovida e um marinheiro sonhador está à procura da mulher ideal...

"Queria fazer um filme que despertasse um sentimento de felicidade, que, depois da projeção, o espectador saísse da sala menos triste do que quando tinha entrado" -Jacques Demy

CONFIRA O DOSSIÊ PEDAGÔGICO DO FILME DISPONIBILIZADO EM FRANCÊS PELO CNC


  • Écoute Voir
  • Écoute Voir
  • Écoute Voir
  • Écoute Voir
  • Écoute Voir

Écoute Voir

Écoute voir (França 1978). De Hugo Santiago. Com Anne Parillaud, Catherine Deneuve. Em cores/121’.

Sinopse

Sinopse


Uma detetive é encarregada de uma investigação por um misterioso cientista. Suas investigações a levam a uma seita, a «Igreja da renovação final», onde descobre uma terrível arma paralisante...

  • Ela vai
  • Ela vai
  • Ela vai

Ela vai

Elle s'en va (França 2012). De Emmanuelle Bercot . Com Catherine Deneuve, Hafsia Herzi. Em cores/113’.

Sinopse

Sinopse

Bettie, uma linda viúva de 60 anos, toma conta de um restaurante em uma pequena cidade e também é amante de um industrial local, que sempre promete deixar sua esposa por ela. Quando ele finalmente decide chutar o balde, não é por causa de Bettie, mas sim por uma mulher mais jovem que ele engravidou. No dia seguinte, ela abruptamente deixa o restaurante e decide dirigir um pouco para acalmar-se, um passeio que acaba durando uma semana. No caminho, ela pega seu neto de dez anos, quem ela mal conhece.
  • Em um Pátio de Paris
  • Em um Pátio de Paris
  • Em um Pátio de Paris

Em um Pátio de Paris

Dans la cour (França 2014). De Pierre Salvadori. Com Catherine Deneuve, Féodor Atkine, Gustave Kervern. Em cores/97’.

Sinopse

Sinopse

Desanimado demais para seguir tocando em sua banda de rock, Antoine busca uma nova ocupação. Sem experiência, ele acaba conseguindo emprego como zelador de um antigo prédio parisiense e logo revela-se muito bom na função. Assim ele conhece Mathilde, senhora recém-aposentada com quem desenvolve uma relação de amizade.

Eu quero ver

Je veux voir (França, Líbano 2008). De Khalil Joreige, Joana Hadjithomas. Com Catherine Deneuve. Em cores/75’.

Sinopse

Sinopse

Julho de 2006, Israel inicia uma guerra no sul do Líbano em resposta aos ataques de foguete e da captura de dois soldados israelitas pelo Hezbollah. Poucos meses depois, a atriz Catherine Deneuve vai a Beirute para um evento de gala em nome da caridade. Apesar do calendário apertado e da perigosa viagem, ela decide visitar o sul do Líbano. Guiada pelo ator libanês Rabih Mroué, percorrem zonas afetadas pela guerra em uma aventura imprevisível. Essa imersão da atriz permitirá que a beleza da área seja capturada? Os olhos libaneses serão capazes de acompanhar esta viagem?