Catherine Deneuve

Catherine Deneuve

(1943)

Biografia

Catherine Deneuve, nome artístico de Catherine Fabienne Dorléac, (Paris, 22 de outubro de 1943) é uma atriz francesa, considerada um modelo de elegância e beleza galesa e uma das mais respeitadas atrizes do cinema francês e mundial. Filha do ator de teatro e cinema Maurice Dorleac e irmã da também atriz Françoise Dorléac, Deneuve estreou no cinema aos 13 anos, em 1956, e durante a adolescência trabalhou em diversos pequenos filmes com o diretor Roger Vadim até chegar ao estrelato mundial em 1964, em <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Os Guarda Chuvas do Amor</span>, do diretor Jacques Demy. Nos anos 1960, Deneuve fez a reputação de símbolo sexual frio e inacessível através de filmes em que interpretava donzelas lindas e frígidas como <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">A Bela da Tarde</span> de Luis Buñuel e <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Repulsa ao Sexo</span> de Roman Polanski.<br /><br />Descoberta por Roger Vadim, (também descobridor de Brigitte Bardot e responsável pela transformação de Jane Fonda em símbolo sexual com o filme Barbarella) com quem teve um relacionamento amoroso e um filho (Christian Vadim), Deneuve foi casada com o famoso fotógrafo de moda londrino David Bailey (em quem o diretor italiano Michelangelo Antonioni se basearia para criar o principal personagem na sua obra-prima cinematográfica Blow-Up), e após o fim do casamento, envolveu-se com o ator italiano Marcello Mastroianni, com quem teve uma filha, Chiara Mastroianni, em 1972. <br />Durante os anos 1960 e 70, Catherine Deneuve teve uma rica carreira cinematográfica, estrelando filmes de sucesso internacional como <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">A Sereia do Mississipi</span>, <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Mayerling</span>, <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Tristana</span>, <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Pele de Asno</span>, entre outros, que além de a afirmarem como a grande estrela do cinema europeu da época, a transformaram no sinônimo de beleza francesa, fazendo dela a musa da alta costura da França, principalmente do estilista Yves Saint-Laurent e o rosto dos perfumes Chanel (o Chanel Nº 5, ligado a seu rosto e sua imagem, foi o mais vendido e famoso perfume do mundo por mais de duas décadas), levando-a a substituir Brigitte Bardot como a efígie de Marianne, a figura feminina oficial da República da França, estampada em selos e moedas do país.<br />Nos anos 1980, Deneuve continuou fazendo trabalhos importantes em <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">O Último Metrô </span>de François Truffaut e <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Fome de Viver</span>, de Tony Scott, junto com Susan Sarandon e David Bowie, no papel de uma vampira gótica e bissexual, que a transformaria num ícone de lésbicas, gays, góticos e novos artistas da década de 1980. Deneuve sobreviveu como ícone do cinema nos anos 1990, recebendo seu segundo César (o maior prêmio do cinema francês) e uma indicação ao Oscar de melhor atriz pelo filme <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Indochina</span>, de 1992, que naquele ano ganharia o Oscar de melhor filme estrangeiro da Academia de Hollywood. Teve um sucesso mundial com <span style="font-style: italic;"><span style="font-weight: bold;"></span></span><span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Dançando no Escuro</span>, de Lars Von Trier, com a cantora e atriz islandesa Bjork, Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes em 2000 e <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">8 Mulheres</span> de François Ozon (2002), ao lado de algumas das maiores atrizes francesas como Fanny Ardant e Emmanuelle Béart.




Participação nos filmes

  • Expresso para Bordeaux
  • Expresso para Bordeaux
  • Expresso para Bordeaux
  • Expresso para Bordeaux
  • Expresso para Bordeaux

Expresso para Bordeaux

Un flic (França, Itália 1972). De Jean-Pierre Melville. Com Alain Delon, Catherine Deneuve, Jean Dessailly. Em cores/95’.

Sinopse

Sinopse


No inverno, num balneário, um banco é assaltado por uma gangue cujo cérebro é Simon, um amigo do delegado Coleman. O dinheiro destina-se a pagar um grande carregamento de drogas. O delegado é informado do golpe por um informante...

  • Feliz Aniversário
  • Feliz Aniversário
  • Feliz Aniversário

Feliz Aniversário

Fête de famille (França 2019). De Cédric Kahn. Com Catherine Deneuve, Emmanuelle Bercot , Vincent Macaigne. Em cores/101’.

Sinopse

Sinopse

Uma família se reúne em um dia de verão para comemorar os 70 anos da mãe. Há o marido, os dois filhos, um com a mulher e filhos, o outro com a nova namorada, uma câmera para imortalizar o evento e uma jovem de dezoito anos que parece ter crescido ali. As coisas parecem ser pacíficas e alegres, até a inesperada chegada da irmã mais nova, que havia desaparecido há quatro anos. Ela é saudada como a filha pródiga, mas traz o caos na bagagem.
Festival Varilux de Cinema Francês

Festival Varilux de Cinema Francês

(França 2011). De Abdellatif Kechiche, Alain Gagnol, François Ozon, Marc Fitoussi, Mia Hansen-Løve, Michel Leclerc, Pierre Salvadori. Com Audrey Tautou, Aure Atika, Catherine Deneuve, Fabrice Luchini, Gérard Depardieu, Isabelle Huppert, Jacques Gamblin, Jérémie Renier, Judith Godrèche, Karin Viard, Nathalie Baye, Sami Bouajila, Sandrine Bonnaire, Sara Forestier, Zinedine Soualem. Em cores/’.

Sinopse

Sinopse

Grandes nomes da cinematografia francesa; exibição de 10 filmes inéditos em 22 cidades; uma mostra em homenagem à atriz Sandrine Bonnaire com oito longas-metragens graças ao Institut Français; exibição de dois filmes ao ar livre e encontro profissional para discutir a distribuição cinematográfica entre o Brasil e a França: essa é a programação do Festival Varilux de Cinema Francês que acontece a partir de 8 de junho em 22 cidades brasileiras. O evento será simultâneo no Rio de Janeiro, São Paulo, Belém, Brasília, Campos, Campinas, Curitiba, Florianópolis, Goiânia, João Pessoa, Juiz de Fora, Macaé, Maceió, Natal, Porto Alegre, São Luís, Santos, Salvador, Recife e Vitória. Em Fortaleza, o festival acontece no período de 16 a 23, e em Belo Horizonte, entre 24 e 30 de junho.

Mais informações sobre a programação aqui.

  • Genealogia de um crime
  • Genealogia de um crime
  • Genealogia de um crime

Genealogia de um crime

Généalogie d'un crime (França 1996). De Raul Ruiz. Com Michel Piccoli, Catherine Deneuve, Melvil Poupaud. Em cores/103’.

Sinopse

Sinopse

O diretor Raoul Ruiz se inspirou num caso da história da psicanálise para criar este filme. Hermine Hellmut von Hug, uma psicóloga infantil de Viena, na virada do século, descobre que seu sobrinho de cinco anos tem tendências homicidas. Discípula de Freud, ela acredita firmemente que a personalidade do menino, mesmo nesta idade, já está definida. Resolve, assim, acompanhar o crescimento dele até o dia em que venha a cometer o esperado crime. Acontece, porém, que o sobrinho acaba matando a própria tia, a única a saber de suas tendências criminosas. Ele é defendido nos tribunais por Solange, uma advogada que tem a intenção de analisar, por um período de dez anos, a complexa e sutil relação entre a vítima e o assassino. Parece, a princípio, que a tia queria não apenas investigar suas características homicidas mas também provar uma nova teoria da psicanálise. O rapaz, por sua vez, além de querer punir a tia por sua mórbida curiosidade, parece ter seguido seus irrestíveis convites a cometer um assassinato. Em outras palavras, é um dilema entre a determinação e a liberdade de escolha. Para Solange, a advogada, o caso toma rumos inesperados no decorrer de suas investigações. O rapaz se torna cada vez mais convencido de que a tia e a advogada são, na verdade, a mesma pessoa. Ao mesmo tempo, Solange vê em seu cliente a reencarnação de seu próprio filho, que morreu num acidente na estrada. Os dois se envolvem e decidem morar juntos. Desta forma, o círculo vicioso volta a se repetir.
  • História(s) de Elle
  • História(s) de Elle

História(s) de Elle

Histoire(s) d'Elle (França 2005). De David Teboul. Com Emmanuelle Béart, Catherine Deneuve, Mathieu Amalric. Em cores/84’.

Sinopse

Sinopse


60 anos de celebridades, de conselhos de beleza, de fichas de cozinhas e de... reivindicações. Entre glamour e feminismo, a epopeia da mais popular e famosa revista feminina, em um filme brincalhão, repleto de imagens de arquivo e de cenas fortes interpretadas por atrizes do cinema francês.


  • Hôtel des Amériques
  • Hôtel des Amériques
  • Hôtel des Amériques
  • Hôtel des Amériques
  • Hôtel des Amériques

Hôtel des Amériques

(França 1981). De André Techiné. Com Catherine Deneuve, Dominique Lavanant, Josiane Balasko, Patrick Dewaere. Em cores/90’.

Sinopse

Sinopse


Em Biarritz, tarde da noite, no contorno de uma rua, Hélène cruza o caminho de Gilles. Ela conduz um carro. Ele atravessa a rua. E o acidente acontece, sem gravidade, sem outra conseqüência se não reunir, de modo brutal e fortuito, dois mundos distantes, estranhos um ao outro. A partir do encontro, Gilles entregar-se-á a uma busca obstinada para reencontrar Hélène, que só faz fugir e escapar dele. O que se esconde por trás da beleza luminosa, dos silêncios constrangidos, das expressões distraídas desta desconhecida, encerrada numa solidão que nada, nem ninguém parece poder romper?

  • Indochina
  • Indochina
  • Indochina
  • Indochina
  • Indochina

Indochina

Indochine (França 1992). De Régis Wargnier. Com Catherine Deneuve, Dominique Blanc, Lin-Dan Pham, Vincent Perez. Em cores/157’.

Sinopse

Sinopse

No Vietnã durante os anos 30, a francesa Eliane é proprietária de um imenso seringal. Ela adota a órfã Camile, filha de um casal amigo de vietnamitas morto num acidente. A menina é educada segundo os padrões franceses e cresce se transformando em uma bela jovem. A visita inesperada do oficial da marinha Jean Baptiste desperta a paixão de Eliane. Tempos depois, também Camile apaixona-se pelo oficial, quando em plena revolução nacionalista na década de 40, Jean Baptiste é transferido para o norte do país.

La Partie d´Echecs

(França 1994). De Yves Hanchar. Com Catherine Deneuve, Denis Lavant, Pierre Richard. Em cores/105’.

Sinopse

Sinopse

1828. Max, 12 anos, uma criança da rua, suicida, conhece Ambroise, um camponês sem ilusões na vida. Logo, o menino se revela um gênio do Xadrez. Eles partem juntos à conquista do título de campeão do mundo. Quatorze ano mais tarde, Max é um dandy empoado, estranho e taciturno. Sempre secundado por Ambroise, treinador e protetor, Max é confrontado com o mais condescendente dos campões do momento, Lord Staunton, durante um encontro maquiavélico organizado pela Marquesa de Theux. Apaixonada pelo xadrez, ele dará sua filha, a deslumbrante Anne-Lise, ao vencedor do torneio.
  • Le Lieu du crime
  • Le Lieu du crime
  • Le Lieu du crime
  • Le Lieu du crime
  • Le Lieu du crime

Le Lieu du crime

(França 1985). De André Techiné. Com Catherine Deneuve, Danielle Darrieux, Jacques Nolot. Em cores/90’.

Sinopse

Sinopse


Thomas, adolescente de quatorze anos, se chateia pouco a pouco na pequena cidade do Sudoeste onde vive com sua adorável mãe e seus queridos avós. Um encontro com dois fugitivos vai mudar completamente sua vida.

  • Le Sauvage
  • Le Sauvage
  • Le Sauvage
  • Le Sauvage
  • Le Sauvage

Le Sauvage

(França 1975). De Jean-Paul Rappeneau. Com Catherine Deneuve, Vernon Dobtcheff, Yves Montand. Em cores/104’.

Sinopse

Sinopse


Caracas, Venezuela. Logo após seu noivado com Vittorio, Nelly foge dele e vai para uma ilha da América Latina. Ela procura ajuda com Martin, um homem de meia-idade francês que encontra por acidente. Ela a ajuda a fugir e a conduz ao aeroporto, dando-lhe uma passagem par Paris. Ele acredita que poderá voltar a sua vida solitária e pacífica na ilha. Mas claro, ele está enganado, e voltará a ser incomodado por Nelly..