Catherine Deneuve

Catherine Deneuve

(1943)

Biografia

Catherine Deneuve, nome artístico de Catherine Fabienne Dorléac, (Paris, 22 de outubro de 1943) é uma atriz francesa, considerada um modelo de elegância e beleza galesa e uma das mais respeitadas atrizes do cinema francês e mundial. Filha do ator de teatro e cinema Maurice Dorleac e irmã da também atriz Françoise Dorléac, Deneuve estreou no cinema aos 13 anos, em 1956, e durante a adolescência trabalhou em diversos pequenos filmes com o diretor Roger Vadim até chegar ao estrelato mundial em 1964, em <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Os Guarda Chuvas do Amor</span>, do diretor Jacques Demy. Nos anos 1960, Deneuve fez a reputação de símbolo sexual frio e inacessível através de filmes em que interpretava donzelas lindas e frígidas como <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">A Bela da Tarde</span> de Luis Buñuel e <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Repulsa ao Sexo</span> de Roman Polanski.<br /><br />Descoberta por Roger Vadim, (também descobridor de Brigitte Bardot e responsável pela transformação de Jane Fonda em símbolo sexual com o filme Barbarella) com quem teve um relacionamento amoroso e um filho (Christian Vadim), Deneuve foi casada com o famoso fotógrafo de moda londrino David Bailey (em quem o diretor italiano Michelangelo Antonioni se basearia para criar o principal personagem na sua obra-prima cinematográfica Blow-Up), e após o fim do casamento, envolveu-se com o ator italiano Marcello Mastroianni, com quem teve uma filha, Chiara Mastroianni, em 1972. <br />Durante os anos 1960 e 70, Catherine Deneuve teve uma rica carreira cinematográfica, estrelando filmes de sucesso internacional como <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">A Sereia do Mississipi</span>, <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Mayerling</span>, <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Tristana</span>, <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Pele de Asno</span>, entre outros, que além de a afirmarem como a grande estrela do cinema europeu da época, a transformaram no sinônimo de beleza francesa, fazendo dela a musa da alta costura da França, principalmente do estilista Yves Saint-Laurent e o rosto dos perfumes Chanel (o Chanel Nº 5, ligado a seu rosto e sua imagem, foi o mais vendido e famoso perfume do mundo por mais de duas décadas), levando-a a substituir Brigitte Bardot como a efígie de Marianne, a figura feminina oficial da República da França, estampada em selos e moedas do país.<br />Nos anos 1980, Deneuve continuou fazendo trabalhos importantes em <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">O Último Metrô </span>de François Truffaut e <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Fome de Viver</span>, de Tony Scott, junto com Susan Sarandon e David Bowie, no papel de uma vampira gótica e bissexual, que a transformaria num ícone de lésbicas, gays, góticos e novos artistas da década de 1980. Deneuve sobreviveu como ícone do cinema nos anos 1990, recebendo seu segundo César (o maior prêmio do cinema francês) e uma indicação ao Oscar de melhor atriz pelo filme <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Indochina</span>, de 1992, que naquele ano ganharia o Oscar de melhor filme estrangeiro da Academia de Hollywood. Teve um sucesso mundial com <span style="font-style: italic;"><span style="font-weight: bold;"></span></span><span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Dançando no Escuro</span>, de Lars Von Trier, com a cantora e atriz islandesa Bjork, Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes em 2000 e <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">8 Mulheres</span> de François Ozon (2002), ao lado de algumas das maiores atrizes francesas como Fanny Ardant e Emmanuelle Béart.




Participação nos filmes

Les temps qui changent

(França 2004). De André Techiné. Com Catherine Deneuve. Em cores/96’.

Sinopse

Sinopse

Antoine é enviado a Tânger para supervisionar um canteiro de obras. Lá ele reencontra Cécile... Eles se amaram há trinta anos, se separaram e nunca mais se viram. Ela se casou no Marrocos e refez sua vida. Ele nunca a esqueceu, jamais se curou. Antoine só pensa em reconquistá-la...
  • Leste-Oeste, um Amor no Exílio
  • Leste-Oeste, um Amor no Exílio

Leste-Oeste, um Amor no Exílio

Est-Ouest (França 1999). De Régis Wargnier. Com Catherine Deneuve, Oleg Menchikov, Sandrine Bonnaire. Em cores/121’.

Sinopse

Sinopse

Junho de 1946. Stalin lança uma propaganda de grande envergadura destinada aos russos que emigraram para o oeste. Ele lhes oferece a anistia, o passaporte soviético e a oportunidade de participar da reconstrução da URSS do pós-guerra. Alexeï Golovine, jovem médico que emigrara para a França, como muitos outros, responde ao apelo. Com sua mulher francesa e seu filho, resolve voltar para a pátria mãe, de que sente saudade. No navio que os leva a Odessa, os ex-refugiados festejam sua última noite a bordo. Mas tão logo chegam à terra natal, enfrentam uma terrível realidade... Muitos deles são executados ou deportados. Alexei e sua família são poupados porque as autoridades percebem o partido que podem tirar deste jovem médico...
  • Manon 70
  • Manon 70
  • Manon 70
  • Manon 70

Manon 70

(França 1968). Com Catherine Deneuve, Jean-Claude Brialy. Em cores/101’.

Sinopse

Sinopse

De Jean Aurel.

Jovem vê seu coração dividido entre um rapaz e um homem mais velho, repleto de posses. Baseado no romance Manon Lescaut, de Abbé Prévost

Minha estação preferida

Minha estação preferida

Ma saison préferée (França 1992). De André Techiné. Com Catherine Deneuve, Chiara Mastroianni, Daniel Auteuil, Marthe Villalonga, Roschdy Zem. Em cores/96’.

Sinopse

Sinopse

É a história de um irmão e de uma irmã. História que ganha consistência a partir do momento em que a mãe perde aos poucos a lucidez e finalmente a vida. Os dois encontram-se então diante de suas existências. Não há nostalgia alguma, porque é sempre no presente que se constrói o passado. Entre a vertigem de se encontrar e a dor de se separar, irmão e irmã tomarão enfim consciência de seus verdadeiros lugares no mundo...

Cannes 1993: Seleção Oficial - César 1994: Indicado melhor interpretação masculina (Daniel Auteuil), melhor atriz (Deneuve), melhor diretor, melhor filme, melhor atriz coadjuvante (Marthe Villalonga), melhor roteiro), revelação feminina (Chiara Mastroianni)

Nelly et M. Arnaud

(França 1995). De Claude Sautet. Com Catherine Deneuve. Em cores/102’.

Sinopse

Sinopse

É a historia de um encontro. O encontro de uma moça, Nelly, que está se divorciando, e de um homem idoso e próspero, o Sr. Arnaud, já afastado dos negócios. Ela está passando por algumas dificuldades financeiras e tenta prover suas necessidades aceitando pequenos trabalhos de datilografia. Ele, por sua vez, já ganhou talvez dinheiro em excesso durante toda sua agitada vida... Conhecem-se num bar e o Sr. Arnaud decide ajudar a moça...
  • O Homem Que Elas Amavam Demais
  • O Homem Que Elas Amavam Demais
  • O Homem Que Elas Amavam Demais

O Homem Que Elas Amavam Demais

L'homme Qu'on Amait Trop (França 2014). De André Techiné. Com Adèle Haenel, Catherine Deneuve, Guillaume Canet. Em cores/116’.

Sinopse

Sinopse

Nice, 1976. Renée Le Roux é a dona do Palais de la Méditerranée, o último casino da Riviera Francesa que ainda não foi tomado pelo poderoso mafioso Fratoni. Renée faz o que pode para enfrentar seu poderoso rival, até que sua filha Agnès se apaixona por Maurice, o conselheiro financeiro da família que é ligado ao inimigo. Baseado em fatos reais.
  • O reencontro
  • O reencontro
  • O reencontro

O reencontro

Sage femme (França 2017). De Martin Provost. Com Catherine Deneuve, Catherine Frot. Em cores/117’.

Sinopse

Sinopse

Claire, uma parteira apaixonada por sua profissão, vê sua vida virar de cabeça para baixo com o retorno de Beatrice, a extravagante ex-mulher de seu falecido pai.
  • O Ritual da Pedra
  • O Ritual da Pedra
  • O Ritual da Pedra
  • O Ritual da Pedra
  • O Ritual da Pedra

O Ritual da Pedra

Le Concile de pierre (Alemanha, França, Itália 2006). De Guillaume Nicloux. Com Catherine Deneuve, Laurent Grévill, Monica Bellucci, Simona Maicanescu. Em cores/97’. Classificação etária 14 anos.

Sinopse

Sinopse


Laura adota um bebê tailandês e depois de alguns anos começa a sentir alguma coisa diferente na criança. Após um acidente que o deixa em coma, Laura decide investigar a origem do menino e encontra muitas histórias estranhas e sobrenaturais.

O Último Metrô

Le dernier métro (França 1980). De François Truffaut. Com Catherine Deneuve, Gérard Depardieu. Em cores/130’. Classificação etária 14 anos.

Sinopse

Sinopse

1942, meio teatral parisiense. Marion Steiner, atriz, retoma a direção do teatro Montmarte que seu marido, um judeu alemão, teve de abandonar. Como primeiro espetáculo, ela monta uma peça norueguesa que seu marido deveria dirigir. Pede a um amigo e colaborador, Jean-Loup Cottins, que faça o papel principal. Lucas Steiner, no entanto, não pode sair de Paris e está escondido num porão do próprio teatro transformado em quarto. E é dali que secretamente dá continuidade ao seu trabalho de direção.
O Universo de Jacques Demy

O Universo de Jacques Demy

L´Univers de Jacques Demy (Bélgica, Espanha, França 1995). De Agnès Varda. Com Anouk Aimée, Catherine Deneuve, Jeanne Moreau. Em cores/88’.

Sinopse

Sinopse

Cinco anos após a morte do seu marido Jacques Demy, Agnès Varda íniciou essas perambulações no universo do cineasta, ilustradas por trechos do seus filmes e de entrevistas do seus atores, amigos e colaboradores, entre os quais Anouk Aimée, estrela do seu primeiro filme, «Lola», Catherine Deneuve, Jeanne Moreau, Dominique Sanda, Michel Piccoli e seu compositor favorito Michel Legrand...