Catherine Deneuve

Catherine Deneuve

(1943)

Biografia

Catherine Deneuve, nome artístico de Catherine Fabienne Dorléac, (Paris, 22 de outubro de 1943) é uma atriz francesa, considerada um modelo de elegância e beleza galesa e uma das mais respeitadas atrizes do cinema francês e mundial. Filha do ator de teatro e cinema Maurice Dorleac e irmã da também atriz Françoise Dorléac, Deneuve estreou no cinema aos 13 anos, em 1956, e durante a adolescência trabalhou em diversos pequenos filmes com o diretor Roger Vadim até chegar ao estrelato mundial em 1964, em <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Os Guarda Chuvas do Amor</span>, do diretor Jacques Demy. Nos anos 1960, Deneuve fez a reputação de símbolo sexual frio e inacessível através de filmes em que interpretava donzelas lindas e frígidas como <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">A Bela da Tarde</span> de Luis Buñuel e <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Repulsa ao Sexo</span> de Roman Polanski.<br /><br />Descoberta por Roger Vadim, (também descobridor de Brigitte Bardot e responsável pela transformação de Jane Fonda em símbolo sexual com o filme Barbarella) com quem teve um relacionamento amoroso e um filho (Christian Vadim), Deneuve foi casada com o famoso fotógrafo de moda londrino David Bailey (em quem o diretor italiano Michelangelo Antonioni se basearia para criar o principal personagem na sua obra-prima cinematográfica Blow-Up), e após o fim do casamento, envolveu-se com o ator italiano Marcello Mastroianni, com quem teve uma filha, Chiara Mastroianni, em 1972. <br />Durante os anos 1960 e 70, Catherine Deneuve teve uma rica carreira cinematográfica, estrelando filmes de sucesso internacional como <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">A Sereia do Mississipi</span>, <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Mayerling</span>, <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Tristana</span>, <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Pele de Asno</span>, entre outros, que além de a afirmarem como a grande estrela do cinema europeu da época, a transformaram no sinônimo de beleza francesa, fazendo dela a musa da alta costura da França, principalmente do estilista Yves Saint-Laurent e o rosto dos perfumes Chanel (o Chanel Nº 5, ligado a seu rosto e sua imagem, foi o mais vendido e famoso perfume do mundo por mais de duas décadas), levando-a a substituir Brigitte Bardot como a efígie de Marianne, a figura feminina oficial da República da França, estampada em selos e moedas do país.<br />Nos anos 1980, Deneuve continuou fazendo trabalhos importantes em <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">O Último Metrô </span>de François Truffaut e <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Fome de Viver</span>, de Tony Scott, junto com Susan Sarandon e David Bowie, no papel de uma vampira gótica e bissexual, que a transformaria num ícone de lésbicas, gays, góticos e novos artistas da década de 1980. Deneuve sobreviveu como ícone do cinema nos anos 1990, recebendo seu segundo César (o maior prêmio do cinema francês) e uma indicação ao Oscar de melhor atriz pelo filme <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Indochina</span>, de 1992, que naquele ano ganharia o Oscar de melhor filme estrangeiro da Academia de Hollywood. Teve um sucesso mundial com <span style="font-style: italic;"><span style="font-weight: bold;"></span></span><span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Dançando no Escuro</span>, de Lars Von Trier, com a cantora e atriz islandesa Bjork, Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes em 2000 e <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">8 Mulheres</span> de François Ozon (2002), ao lado de algumas das maiores atrizes francesas como Fanny Ardant e Emmanuelle Béart.




Participação nos filmes

  • Reis e Rainha
  • Reis e Rainha
  • Reis e Rainha
  • Reis e Rainha
  • Reis e Rainha

Reis e Rainha

Rois et reine (França 2004). De Arnaud Desplechin. Com Catherine Deneuve, Emmanuelle Devos, Hippolyte Girardot, Jean-Paul Roussilon, Mathieu Amalric, Maurice Garrel, Nathalie Boutefeu. Em cores/150’.

Sinopse

Sinopse


Nora e Ismael são ex-amantes com vidas bem diferentes. Enquanto ela é diretora de uma bem-sucedida galeria de arte, às vésperas de seu terceiro casamento, ele é talentoso violinista prestes a ser internado em um hospital psiquiátrico. Quando Nora descobre que o pai está com câncer, decide pedir ajuda a Ismael, que tenta de todas as formas escapar da internação.
* Selecionado para a competição oficial do Festival de Veneza de 2004, o filme rendeu a Mathieu Amalric o prêmio César de Melhor Ator em 2005.

  • Segredos de Cabaré
  • Segredos de Cabaré
  • Segredos de Cabaré
  • Segredos de Cabaré
  • Segredos de Cabaré

Segredos de Cabaré

Le Héros de la famille (França 2006). De Thierry Klifa. Com Miou-Miou, Catherine Deneuve, Géraldine Pailhas, Pascal Elbé. Em cores/103’.

Sinopse

Sinopse


Gabriel passou quatro décadas gerenciando o Papagaio Azul, uma casa noturna parisiense. Lá, ele se apresentava em números de drag queen. Após a morte de Nicky, seu amigo que conduzia shows de mágica na mesma casa, seus afilhados vêm a Paris para cuidar dos detalhes do funeral: Nino, um contador gay que traz seu jovem amante, e Marianne, editora de uma conhecida revista feminina. Simone, ex-mulher de Nicky e mãe de Marianne, e Alice, outra ex-mulher de Nicky e mãe de Nino, também comparecem ao funeral, que serve de estopim para uma série de acontecimentos.

  • Três Corações
  • Três Corações
  • Três Corações

Três Corações

3 Coeurs (França 2014). De Benoit Jacquot. Com Benoît Poelvoorde, Catherine Deneuve, Charlotte Gainsbourg, Chiara Mastroianni. Em cores/106’.

Sinopse

Sinopse

Após perder seu trem noturno de volta para Paris, Marc conhece Sylvie em uma pequena cidade francesa. O encontro revela aos dois uma surpreendente afinidade e, juntos, eles andam pelas ruas até o amanhecer conversando sobre tudo, menos sobre si mesmos. No dia seguinte, Marc toma o primeiro trem de volta, não sem antes marcar um encontro com Sylvie em Paris alguns dias depois. No dia do encontro, porém, Marc não pôde aparecer. Em sua subsequente busca por Sylvie, Marc acaba conhecendo outra mulher, Sophie.
  • Tristana, uma Paixão Mórbida
  • Tristana, uma Paixão Mórbida
  • Tristana, uma Paixão Mórbida
  • Tristana, uma Paixão Mórbida

Tristana, uma Paixão Mórbida

Tristana (Espanha, França 1970). De Luis Buñuel. Com Catherine Deneuve, Fernando Rey. Em cores/94’. Classificação etária 14 anos..

Sinopse

Sinopse

Jovem órfã é entregue aos cuidados de um experiente tutor e eles se tornam amantes. Tristana se torna amarga e cruel, até a chegada de um jovem rapaz, que abala a relação do casal.
  • Um Conto de Natal
  • Um Conto de Natal
  • Um Conto de Natal
  • Um Conto de Natal
  • Um Conto de Natal

Um Conto de Natal

Un conte de Noël (França 2008). De Arnaud Desplechin. Com Catherine Deneuve, Chiara Mastroianni, Emmanuelle Devos, Jean-Paul Roussilon, Mathieu Amalric. Em cores/143’.

Sinopse

Sinopse


Há muitos anos, Abel e Junon perderam o pequeno Joseph. A tragédia marcou a vida de seus outros dois filhos, Elizabeth e Henry. Hoje, Elizabeth é uma dramaturga reclusa, Henry é desregrado e alcoólatra, e eles não se falam. Quando Junon descobre que precisa de um transplante de medula, toda a família faz testes e os únicos doadores compatíveis revelam-se Henry e o filho de Elizabeth. No dia de Natal, todos se reúnem e decisões difíceis devem ser tomadas. Mas antes a família precisa resolver questões mais antigas.
* Prêmio Especial no Festival de Cannes 2008 *.