Chris Marker

Chris Marker

(1921)

Biografia

Chris Marker é um cineasta, fotógrafo, escritor e artista multimédia franês. Os seus filmes mais conhecidos são La Jetée (1962), <em>Sem Sol (1983) e A.K. (1985), documentário sobre o cineasta japonês Akira Kurosawa.</em>




Participação nos filmes

2084

2084

(França 1984). De Chris Marker. Com François Perier. Em cores/10’.

Sinopse

Sinopse

O sujeito devia ser “um século de sindicalismo”. Porém, é difícil fazer caber isto em 10 minutos. Mas talvez 2 séculos, quem sabe?
Disponivel somente com legendas em inglês.
  • A Embaixada
  • A Embaixada
  • A Embaixada

A Embaixada

L'Ambassade (França 1975). De Chris Marker. Em cores/27’.

Sinopse

Sinopse

Naquele tempo, em caso de golpe de estado, às vezes os oponentes políticos se refugiavam dentro das embaixadas.

Filme anônonimo em super 8, encontrado dentro de uma Embaixada. Somente disponível com legendas em inglês.
  • A Sexta Face do Pentágono
  • A Sexta Face do Pentágono
  • A Sexta Face do Pentágono

A Sexta Face do Pentágono

La Sixième face du Pentagone (França 1967). De Chris Marker. Em cores/27’.

Sinopse

Sinopse


Em 21 de outubro de 1967, uma gigantesca manifestação aconteceu em Washington DC contra a guerra do Vietnã. A palavra de ordem “ ação imediata” se dá como objetivo de ocupar simbolicamente o prédio do Pentágono, considerado como o coração da máquina militar. O filme segue esta ação passo a passo.

  • A.K.
  • A.K.
  • A.K.

A.K.

(França 1985). De Chris Marker. Em cores/75’.

Sinopse

Sinopse

“O perigo de um documentário como esse”, sobre a filmagem de Ran de Akira Kurosawa, diz Marker, “é, sem querer, cobrir com um contraluz a beleza das imagens originais. O importante, aqui, é mostrar o que vemos tal como o vemos”.
  • As Estátuas Também Morrem
  • As Estátuas Também Morrem
  • As Estátuas Também Morrem
  • As Estátuas Também Morrem

As Estátuas Também Morrem

Les Statues meurent aussi (França 1953). De Alain Resnais, Chris Marker. Em preto e branco/29’.

Sinopse

Sinopse


Um documentário sobre a arte negra torna-se um panfleto anti-colonialista e anti-racista. Neste potente poema, ritmado pelas formas das estátuas africanas e pelo texto de Chris Marker, expõe-se a opressão e a destruição de uma arte e de um povo por outro povo.

  • Até logo, eu espero
  • Até logo, eu espero
  • Até logo, eu espero

Até logo, eu espero

À bientôt, j'espère (França 1968). De Chris Marker, Mario Marret. Em preto e branco/55’.

Sinopse

Sinopse

Em 1967, uma greve de um novo gênero (ocupação, reivindicações, animação cultural) eclode na usina Rhodiaceta em Besançon. A reportagem dessa greve é recusada pela televisão francesa e, somente ao termo de uma longa discussão, a reportagem foi aceita para exibição, desde que cercada por um ‘’debate’’ de gente séria’’, que se encontra inserido nesse filme.

Coleção Chris Marker

(França 2009). De Chris Marker. Em cores/’.

Sinopse

Sinopse

A Coleção é composta por 6 filmes sobre as manifestações populares, os movimentos da política, as esperanças e as decepções suscitadas pelos movimentos revolucionários de 68 no mundo inteiro: - O FUNDO DO AR É VERMELHO; -ATÉ BREVE, EU ESPERO; -PUISQU'ON VOUS DIT QUE C'EST POSSIBLE; -2084; -LA SIXIÈME FACE DU PENTÁGONO; -A EMBAIXADA.
Elegia para Alexandre

Elegia para Alexandre

Le Tombeau D'Alexandre (França 1993). De Chris Marker. Em cores/120’.

Sinopse

Sinopse

Documentário sobre a vida e a obra do cineasta soviético Aleksander Medvedkin, que teve alguns de seus principais trabalhos censurados pela antiga URSS
Gatos Empoleirados

Gatos Empoleirados

Chats Perchés (França 2004). De Chris Marker. Em cores/59’.

Sinopse

Sinopse

Intrigado com o sorridente gato amarelo que surgiu nos muros e telhados de Paris depois do 11 de Setembro, o legendário Chris Marker, cineasta, escritor e amante da poesia nascido em 1921, passou a documentar sistematicamente as misteriosas aparições do felino. Essas pinturas e grafites, estranha manifestação de um artista anônimo, são o seu ponto de partida para um filme sobre a França dos primeiros anos do século XXI. Marker examina fatos que tomaram o cena social do país e ganharam as ruas da capital: manifestações promovidas por grupos diversos, como mulheres islâmicas, pacientes com AIDS, militantes políticos às vésperas da eleição presidencial de 2002, protestos contra a guerra do Iraque. Monsieur Chat, como ficaria conhecido, esteve em todas elas. Elogio da arte engajada e da imaginação pública, Gatos Empoleirados é um ensaio lúcido e irônico a favor da poesia, e dos gatos de rua.
Já que dizem que é possível

Já que dizem que é possível

Puisqu´on vous dit que c´est possible (França 1973). De Chris Marker. Em cores/43’.

Sinopse

Sinopse

Cinco anos depois de maio de 68, os trabalhadores de LIP se lançam em um descontrolado empreendimento de autogestão, que faz um estrondo imediato. Mas a guerra entre os sindicatos arrisca paralisar o trabalho de Roger Louis, cuja cooperativa Scopitone reuniu uma documentação considerável. Para afastar o golpe, ele pede a C. M. que se responsabilize pela montagem. Disponível somente com legendas em inglês.