Fabrice Luchini



Participação nos filmes

  • Les Femmes du 6ème Étage
  • Les Femmes du 6ème Étage
  • Les Femmes du 6ème Étage
  • Les Femmes du 6ème Étage
  • Les Femmes du 6ème Étage

Les Femmes du 6ème Étage

(França 2010). De Philippe Le Guay. Com Fabrice Luchini, Marie Armelle Deguy, Sandrine Kiberlain. Em cores/106’.

Sinopse

Sinopse


Paris, anos 60. A vida de um casal conservador é virada ao avesso. Jean-Louis Joubert, agente de câmbio rigoroso e pai de família retraído, descobre que um alegre grupo de empregadas espanholas vive no sexto andar de seu imóvel burguês. A jovem Maria o faz descobrir um universo exuberante e folclórico, bem diferente dos modos e da austeridade a que está acostumado. Encantado por essas mulheres cheias de vida, ele se permite seguir e experimenta com emoção os prazeres simples da vida pela primeira vez. Mas será que é mesmo possível mudar de vida aos 45 anos?

  • O Coronel Chabert
  • O Coronel Chabert
  • O Coronel Chabert
  • O Coronel Chabert
  • O Coronel Chabert

O Coronel Chabert

Le Colonel Chabert (França 1993). De Yves Angelo. Com Fabrice Luchini, Fanny Ardant, Gérard Depardieu. Em cores/106’.

Sinopse

Sinopse

O coronel Chabert, oficialmente morto na batalha de Eylau em 1807, reaparece dez anos depois em Paris e exige a restituição de seu nome, posto, fortuna... e mulher! Durante sua ausência, esta se casou em segundas núpcias com o conde Ferraud e teve filhos. Ela recusa-se a reconhecer seu primeiro marido. Aquele homem é quem ele diz ser ou trata-se de um mitômano, um impostor que usurpou a identidade do coronel morto heroicamente no front?
  • O Insolente Beaumarchais
  • O Insolente Beaumarchais
  • O Insolente Beaumarchais
  • O Insolente Beaumarchais

O Insolente Beaumarchais

Beaumarchais, l'insolent (França 1995). De Edouard Molinaro. Com Michel Piccoli, Fabrice Luchini, Jacques Weber, Jean Yanne, Jean-Claude Brialy, Manuel Blanc, Martin Lamotte, Michel Serrault, Sandrine Kiberlain. Em cores/100’.

Sinopse

Sinopse

Homem de negócios, maquiavélico e nem sempre escrupuloso, político de vanguarda, mas jamais desinteressado, homem de ação corajoso, pronto para se servir tanto da espada quanto da palavra, amante incansável e pai carinhoso, litigante sistemático, mas defensor dos Direitos Humanos, inventor genial, é através deste homem excepcional que iremos conhecer um século XVIII explosivo.
  • O Joelho de Claire
  • O Joelho de Claire
  • O Joelho de Claire
  • O Joelho de Claire
  • O Joelho de Claire

O Joelho de Claire

Le Genou de Claire (França 1970). De Eric Rohmer. Com Aurora Cornu, Béatrice Romand, Fabrice Luchini, Jean-Claude Brialy. Em cores/105’. Classificação etária 14 anos.

Sinopse

Sinopse

Jerome é um maduro, diplomata prestes a se casar e que passa suas últimas férias de solteiro às margens do lago Annecy. Lá ele reencontra Aurora, uma escritora italiana que é sua amiga e que alugou um quarto na casa de uma senhora e suas duas filhas, Laura e Claire. Logo Aurora o avisa que Laura está interessada nele, incentivando-o a ter um último namoro antes do casamento. Entretanto Jerome está interessado em Claire, tendo um desejo obsessivo em acariciar seu joelho. Ela é uma garota adorável e muito mais jovem. Um forte sentimento logo envolve o sério diplomata e a frágil, porém lúcida, garota. Como ele poderia resistir à sua personalidade, à sua inteligência e, sobretudo, como não ficar excitado com aqueles joelhos?

  • Paris
  • Paris
  • Paris
  • Paris
  • Paris

Paris

(França 2008). De Cédric Klapisch. Com Juliette Binoche, Albert Dupontel, Audrey Lamy, Fabrice Luchini, Mélanie Laurent, Romain Duris. Em cores/130’.

Sinopse

Sinopse


O parisiense Pierre está doente e se pergunta se irá morrer em breve. O fato de contemplar a morte lhe faz dar mais valor à vida, seja a sua, a dos outros ou a da própria cidade. E seu estado faz com que ele olhe de forma diferente para as pessoas com quem cruza. Um dançarino, um arquiteto, uma agente social, um sem-teto, um imigrante africano, vendedores de frutas e legumes... todos parecem pessoas comuns, mas todos são, cada um à sua maneira, seres singulares. E, para cada um, seus próprios problemas são o que há de mais importante no mundo.

  • Pedalando com Molière
  • Pedalando com Molière
  • Pedalando com Molière

Pedalando com Molière

Alceste à Bicyclette (França 2011). De Philippe Le Guay. Com Fabrice Luchini, Lambert Wilson. Em cores/104’.

Sinopse

Sinopse

No auge da sua carreia de ator, Serge Tanneur vive como eremita quando Gauthier Valence, um ator de televisão bajulado pelo público, o procura para lha propor um papel em «O Misantropo» de Molière.
  • Potiche: Esposa Troféu
  • Potiche: Esposa Troféu
  • Potiche: Esposa Troféu
  • Potiche: Esposa Troféu
  • Potiche: Esposa Troféu

Potiche: Esposa Troféu

Potiche (França 2009). De François Ozon. Com Catherine Deneuve, Fabrice Luchini, Gérard Depardieu, Jérémie Renier, Judith Godrèche, Karin Viard. Em cores/103’. Classificação etária 12 anos.

Sinopse

Sinopse


Em 1977, em uma província francesa, Suzanne Pujol é a esposa burguesa submissa de um rico industrial, Robert Pujol. Ele dirige uma fábrica de guarda-chuvas com mão de ferro e é um homem desagradável e autoritário com os funcionários, os filhos e a esposa. Esta é considerada por ele um objeto, uma Potiche. Após uma greve e o sequestro do seu marido, Suzanne fica à frente do comando da fábrica e, para surpresa geral, se revela uma mulher de ação, uma líder nata.
"Uma comédia kitsch e rosa-shocking, atrapalhada e divertida, chegando a ser até engraçada, com algumas pitadas políticas e sociais." L'Express

Rien sur robert

Rien sur robert

(França 1998). De Pascal Bonitzer. Com Michel Piccoli, Fabrice Luchini, Sandrine Kiberlain. Em cores/102’. Classificação etária 10.

Sinopse

Sinopse

Depois de uma discussão com a namorada Juliette, e de um artigo que não deveria ter escrito, Didier verá suas referências irem por terra e sua vida mudará. Juliette o deixa por outro, ele conhece uma jovem estranha, Aurélie, assim como um certo Jérôme, que talvez seja o seu espelho: fantasmas que vão atordoá-lo, assombrá-lo e dividi-lo. No final das contas, ele descobrirá que não se escreve impunemente, não se trepa impunemente e não se ama impunemente...