Jean Gabin

Jean Gabin

Biografia

Utilizando o nome artístico de seu pai, Jean Moncorgé torna-se Jean Gabin ao galgar o palco do Folies Bergères. É ali que canta e dança ao lado de Mistinguett. Após vários anos de cabaré, recebe o chamado do cinema e grava seu primeiro filme com um título premonitório: Chacun sa chance (1930). Seu início de carreira é bastante difícil e ele trabalha em produções de menor importância. Contudo, Julien Duvivier dá-lhe a oportunidade de mostrar seu talento no filme Você camaradas (1936) ao lado de Charles Vanel e, principalmente, na produção O Demônio da Algéria (1937), no qual Gabin interpreta, com brio, o criminoso Pépé le Moko, que deu o nome ao filme em francês.

Estava lançada a carreira de Jean Gabin. No espaço de dois anos, atua em filmes que estão entre os mais célebres do cinema francês como A Grande Ilusão, Gueule d'amour, com Mireille Balin (1937), Cais das Sombras, com Michèle Morgan, A Besta Humana (1938) e Trágico amanhecer (1939). Em setembro de 1939 é chamado pelo exército e em fevereiro de 1941 deixa a França em direção aos Estados Unidos, pois se recusava a filmar para os alemães. Nesse país atuará em dois filmes: Águas tempestuosas e O Impostor e frequentará Ginger Rogers e Marlene Dietrich. Em 1943, Gabin se engaja nas Forças Armadas Francesas Livres e será condecorado com a Medalha Militar e a da Cruz Vermelha.

Quando retorna da guerra, seu aspecto é de um velho ator do pré-guerra, pois aos quarenta anos sua cabeça já está toda branca. Realiza um projeto que acalentava há tempos: Martin Roumagnac: mulher perversa (1946), com Marlene Dietrich. O filme, todavia, é um fracasso. Começa então um período de declínio na carreira de Gabin. Trabalha em produções sem importância, exceto La Nuit est mon royaume (1951), Amor Traído (1951) e French Cancã (1954), de Jean Renoir. O renascimento vem com dois filmes: Grisbi, Ouro Maldito (1953), e Razzia sur la chnouf (1955) com o jovem Lino Ventura. Nesses dois filmes de bandidos, Gabin mostra que para ele nada terminou e que pode ainda ser um ator notável.

Mudou sua imagem: é agora um homem experiente, autoritário e que impõe respeito. Esse personagem acompanhará Gabin em sua vida pessoal de forma quase caricatural. Em 1955, um pequeno filme será determinante: Gas-oil. Michel Audiard descobriu em Gabin um personagem rabugento sobre o qual ele poderia lançar suas réplicas cuidadosamente elaboradas. A colaboração entre os dois homens durou o tempo de aproximadamente vinte filmes. O sucesso de Gabin no fim dos anos 50 pode ser conferido no policial noir Sedução fatal (1956), A Travessia de Paris (1956, com Bourvil, e Amar é Minha Profissão (1958), com Brigitte Bardot.

No anos 60, Gabin reúne um time de amigos fiéis, com quem gravará muitos filmes. Esses diretores chamavam-se Gilles Grangier, Denys de La Patellière, Henri Verneuil e Jean Delannoy. Abriu sua própria empresa de produção, junto com Fernandel: a ?Gafel?. Expandiu sua fazenda na Normandia comprando terras e tornou-se criador de gado em seus momentos de lazer. Entre os filmes dessa década, marcada por muita cabotinagem, chamam a atenção Le Cave se rebiffe rodado com seu amigo Bernard Blier e sua interpretação do inspetor Maigret, um papel que já havia desempenhado duas vezes nos anos 50. E, o que é mais importante, Gabin se aproxima da nova geração com Macaco no Inverno, ao lado do jovem Jean-Paul Belmondo, Gângsters de Casaca com Alain Delon, ator que reencontrará, assim como Lino Ventura em Os Sicilianos (1969).

Com quase 70 anos, Jean Gabin torna-se cada vez mais seletivo em relação a seus papéis, beirando a caricatura. Assim, suas interpretações em La Horse (1970) ou no L'Affaire Dominici (1973), consolidam ainda mais seu personagem de patriarca teimoso. Mais foi com O Gato (1970) de Pierre Granier-Deferre que mostrou o quanto seu talento permanecia intacto, assim como no filme Dois Homens Contra uma Cidade, onde dividiu novamente as telas com Alain Delon. Em 1974, gravou uma música, Je sais, com letra de Jean-Loup Dabadie, que obteve uma classificação aceitável nos índices de vendas de discos daquele ano. Seu último filme, L'Année sainte (1976), dirigido por Jean Girault e com Jean-Claude Brialy, foi um fracasso. Em 15 de novembro desse mesmo ano, Jean Gabin se foi, e com ele uma figura mítica do cinema francês.




Participação nos filmes

  • A alegria do batalhão
  • A alegria do batalhão
  • A alegria do batalhão
  • A alegria do batalhão

A alegria do batalhão

Les gaîtés de l'escadron (França 1932). De Maurice Tourneur. Com Jean Gabin, Fernandel. Em preto e branco/80’.

Sinopse

Sinopse


Numa cidade que abriga uma guarnição militar, o dia a dia de um batalhão: animado com a chegada de reservistas; desanimado com a inspeção do general; sacudido pela deserção de dois homens e tiranizado pelo sargento Flick...

  • A Besta Humana
  • A Besta Humana
  • A Besta Humana
  • A Besta Humana
  • A Besta Humana

A Besta Humana

La bête humaine (França 1938). De Jean Renoir. Com Fernand Ledoux, Jean Gabin, Simone Simon. Em preto e branco/104’.

Sinopse

Sinopse

Testemunha de um assassinato cometido por Roubaud, o chefe da estação em Hâvre, Jacques Lantier, mecânico da locomotiva, torna-se amante de Séverine, a esposa do assassino. O segredo os aproxima e Séverine incita Lantier a matar o marido que ela detesta. Contudo, Lantier sofre de um terrivel mal que o impede de viver seus casos amorosos.

* Adaptação do romance homônimo de Émile Zola.
* Festival de Veneza 1939 - Em Competição.
  • A Grande Ilusão
  • A Grande Ilusão
  • A Grande Ilusão
  • A Grande Ilusão

A Grande Ilusão

La Grande illusion (França 1937). De Jean Renoir. Com Jean Dasté, Jean Gabin, Julien Carette, Marcel Dalio, Pierre Fresnay. Em preto e branco/108’.

Sinopse

Sinopse


Por volta de 1916-1917, num campo de prisioneiros de guerra na Alemanha, os franceses Boeldieu, aristocrata, Maréchal, contramestre e Rosenthal, banqueiro judeu, arquitetam um plano de fuga. No último instante são transferidos para uma fortaleza comandada por von Rauffenstein que se mostra simpático a Boüeldieu. Este é morto por Rauffenstein quando dá cobertura à fuga de Maréchal e Rosenthal. Recolhidos por uma mulher alemã, os fugitivos conseguem atravessar a fronteira para a Suíça.

  • Águas tempestuosas
  • Águas tempestuosas

Águas tempestuosas

Remorques (França 1940). De Jean Gremillon. Com Fernand Ledoux, Jean Gabin, Jean Marchat, Madeleine Renaud, Michele Morgan, Nane Germon. Em preto e branco/85’.

Sinopse

Sinopse

Um dono de um rebocador, bretão, homem corajoso e cumpridor de seus deveres, leva uma vida dura e difícil pecuniariamente. Ele divide seu tempo entre sua paixão por seu trabalho e seu amor por sua mulher. Durante o salvamento de um navio cargueiro, ele conhece uma mulher que o transtorna e com a qual ele vai embora...
  • French Cancan
  • French Cancan
  • French Cancan

French Cancan

(França 1955). De Jean Renoir. Com Françoise Arnoul, Jean Gabin, Michel Piccoli. Em cores/115’.

Sinopse

Sinopse

Danglard é o diretor de uma casa de espetáculos em Montmartre: o Paravent Chinois. Sua amante, uma atriz chamada de Belle Abbesse, é a estrela do lugar. Para atrair uma clientela burguesa, ele decide relançar uma dança fora de moda, o cancan, e construir um novo estabelecimento: o Moulin Rouge. E lá, graças aos sentimentos do príncipe Alexandre, a jovem lavadeira Nini se tornará uma nova estrela.

FICHA PEDAGÓGICA :
Baixar a ficha aluno
Baixar a ficha professor
Indicação: Ensino Médio
L'âge ingrat

L'âge ingrat

(França 1964). De Gilles Grangier. Com Jean Gabin, Fernandel. Em preto e branco/95’.

Sinopse

Sinopse

Antoine et Marie s'apprêtent à sa marier. Ils décident alors de faire rencontrer leurs deux familles, l'une vient du nord de la France, l'autre du sud.
La belle équipe

La belle équipe

(França 1936). De Jean Duvivier. Com Jean Gabin, Charles Vanel. Em preto e branco/95’.

Sinopse

Sinopse

Cinq ouvriers chômeurs parisiens, Jean, Charles, Raymond, Jacques, et un étranger, Mario, menacé d'expulsion, gagnent le gros lot de la loterie nationale. L'un d'eux, Jean, a l'idée de placer cet argent en commun, dans l'achat d'un vieux lavoir de banlieue en ruine, qu'ils transformeront en riante guinguette dont ils seront les co-propriétaires. Ils s'attellent à la besogne avec confiance. Mais la solidarité du groupe est fragile... Le destin s'acharne sur eux. Bientôt, il ne reste plus de la joyeuse équipe que Charles et Jean qui sont amoureux de la même femme, Gina. La fin, jugée trop pessimiste pour l'époque (celle du front populaire), fut refaite. Gina doit se retirer devant le mépris des deux hommes qui font passer l'amitié avant tout.
La cave se rebiffe

La cave se rebiffe

(França 1961). De Gilles Grangier. Com Jean Gabin, Bernard Blier. Em preto e branco/98’.

Sinopse

Sinopse

Pour Charles, Lucas et Eric monter une affaire de fausse monnaie avec le "Dabe", c'est encore mieux que de s'associer avec la Banque de France. Tout est en place quand "le Dabe" apprend avec surprise que le graveur est un "cave".

La Horse

(França 1969). De Pierre Granier-Deferre. Com Jean Gabin, Eléonore Hirt. Em cores/77’.

Sinopse

Sinopse

Em frente ao porto do Havre, perto dos alagados do estuário do rio Sena, fica a sede de uma fazenda real no meio de quatrocentos hectares de terras. Auguste, um patriarca misantropo e solitário reina incontestável sobre os domínios e a família. Certo dia, Auguste acha um pacote de drogas nas terras. Ele fica à espreita e captura os dois bandidos para obrigá-los a falar. Ele fica sabendo que seu neto está envolvido no caso e suas terras servem de escala clandestina entre o Oriente e as Américas. A quadrilha, disposta a tudo para recuperar a mercadoria, começa uma guerra sangrenta contra os moradores da fazenda. Apesar da família, que reclama e quer dar parte à polícia, Auguste aguenta firme e, com a ajuda dos genros, mata todos os bandidos, um por um...
  • La Traversée de Paris
  • La Traversée de Paris
  • La Traversée de Paris
  • La Traversée de Paris

La Traversée de Paris

(França 1956). De Claude Autant-Lara. Com Jean Gabin, Louis de Funès. Em preto e branco/80’.

Sinopse

Sinopse


Em uma época em que o mercado negro assolava a cidade de Paris durante a ocupação, o bravo e simplório Martin foi encarregado pelo merceeiro Jambier de transportar um porco devidamente cortado, para o outro lado da cidade. Abandonado por seu companheiro usual, Martin atrai um desconhecido com algumas notas e arrasta com ele Grandgil, cujo comportamento às vezes o preocupa. Segue se uma caminhada atribulada.