Julie Bertuccelli

Julie Bertuccelli

Biografia

Nasceu em 1968 e trabalhou como assistente de direção de cineastas como Otar Iosseliani, Bertrand Tavernier e seu pai, Jean-Louis Bertuccelli. Após dirigir o documentário para a TV Un Monde en Fusion (2001), estreou como diretora de cinema com o longa-metragem <span style="font-style: italic;">Desde que Otar Partiu</span> (2003), vencedor do Grande Prêmio da Semana da Crítica no Festival de Cannes e exibido na 27ª Mostra. <span style="font-style: italic;">A Árvore</span> é seu segundo longa-metragem.




Participação nos filmes

  • A Árvore
  • A Árvore
  • A Árvore
  • A Árvore

A Árvore

L'Arbre (Austrália, França 2010). De Julie Bertuccelli. Com Charlotte Gainsbourg. Em cores/100’.

Sinopse

Sinopse

Um casal vive feliz com seus quatro filhos em um vilarejo da Austrália. Depois da morte repentina de seu pai, Simone, de oito anos, passa a dividir um segredo com sua mãe Dawn: ela acredita que seu pai pode conversar com ela através das folhas de sua árvore preferida e passa horas ali, sentindo a presença dele. O novo vínculo entre mãe e filha é ameaçado quando Dawn começa um relacionamento com George, o encanador contratado para remover as raízes incômodas da árvore. Quando os galhos da árvore começam a entrar pela casa, a família é forçada a tomar uma decisão.

  • A Escola de Babel
  • A Escola de Babel
  • A Escola de Babel

A Escola de Babel

La Cour de Babel (França 2013). De Julie Bertuccelli. Em cores/94’.

Sinopse

Sinopse

Em uma escola secundária no 10º distrito de Paris, existe uma turma de adaptação onde alunos imigrantes entre 11 e 15 anos de idade aprendem as primeiras lições de francês. Algumas dessas crianças recém-chegadas conhecem poucas frases na língua do seu país de adoção; outras não sabem falar palavra alguma. Suas famílias vieram de diversas partes do mundo como Irlanda, Senegal, Marrocos, Brasil e China, seja fugindo de perseguições ou apenas à procura de um novo começo.
  • A fábrica de juízes
  • A fábrica de juízes
  • A fábrica de juízes

A fábrica de juízes

La Fabrique des juges (França 1997). De Julie Bertuccelli. Em cores/67’.

Sinopse

Sinopse

Na França, a formação dos juízes é assumida pela "École Nationale de la Magistrature de Bordeaux". Os auditores da justiça lá entram através de um concurso e os dois anos e meio de sua escolaridade são administrados entre cursos teóricos e práticos. Dentro da variação entre o ideal da escola e a realidade dos tribunais, a justiça, mais do que uma questão de textos e estudos, revela-se uma pesquisa de distanciamentos e aproximações. Um questionamento moral, humano e filosófico.

* Cinéma du Réel 1998 - Prêmio Heritage.
  • A última loucura de Claire Darling
  • A última loucura de Claire Darling
  • A última loucura de Claire Darling

A última loucura de Claire Darling

La Dernière Folie de Claire Darling (Bélgica, França 2018). De Julie Bertuccelli. Com Catherine Deneuve, Chiara Mastroianni. Em cores/94’.

Sinopse

Sinopse

Em Verderonne, uma pequena aldeia na região do Rio Oise, é o primeiro dia de verão e Claire Darling acorda convencida de que está vivendo seu último dia. Ela decide então esvaziar sua casa e se livra tudo, sem distinção, cada item de marca e até mesmo sua coleção de relógios. Seus objetos amados ecoam uma vida trágica e extravagante. Esta última loucura traz de volta Mary, sua filha, a quem ela não via há 20 anos.
  • Desde que Otar Partiu...
  • Desde que Otar Partiu...
  • Desde que Otar Partiu...
  • Desde que Otar Partiu...

Desde que Otar Partiu...

Depuis qu'Otar est parti... (Bélgica, França, Geórgia 2003). De Julie Bertuccelli. Com Esther Gorintin. Em cores/100’. Classificação etária 12 anos.

Sinopse

Sinopse


Mãe, irmã e sobrinha de Otar vivem sozinhas em um mesmo apartamento em Tbilissi, Geórgia, desde que ele foi para Paris em busca de melhores oportunidades. Eka, a avó, vive em função das notícias que chegam de seu filho preferido. Ao receberem uma trágica notícia, Marina, sempre à sombra do irmão, e Ada, sua filha, vivem o dilema de contar ou esconder a informação de Eka, e precisam pesar o quanto esse fato poderá afetar a saúde da matriarca da família.
* Grande Prêmio na Semana da Crítica em Cannes 2003 *



Otar Iosseliani, le merle siffleur

Otar Iosseliani, le merle siffleur

(França 2006). De Julie Bertuccelli. Com Michel Piccoli, Otar Iosseliani, Pierre Etaix. Em cores/92’.

Sinopse

Sinopse


O documentário concede acesso íntimo ao processo artístico de Otar Iosseliani, o acompanhando durante a produção de seu último trabalho, "Jardins en Automne". Com um cigarro perpetuamente se estendendo de seu rosto comprido e estreito, Iosseliani casualmente saúda a platéia em seu mundo de trabalho interno e uma mente criativa repleta de imagens e idéias. Vinho e vodka fluem livremente, e argumentos que vão desde o poêmico ao jovial enquanto ele trabalha em estreita colaboração com artistas de storyboard, designers de produção e seu diretor de fotografia de longa data, cuidadosamente mapeamento e marcando o tempo de cada cena.

  • Últimas novidades do Cosmos
  • Últimas novidades do Cosmos
  • Últimas novidades do Cosmos
  • Últimas novidades do Cosmos

Últimas novidades do Cosmos

Dernières nouvelles du Cosmos (França 2016). De Julie Bertuccelli. Em cores/85’.

Sinopse

Sinopse

Com quase 30 anos, Hélène sempre teve um ar adolescente. Ela é autora de textos poderosos com humor corrosivo. Ela faz parte, como diz ela mesma, de um “lote mal calibrado que não aparece em qualquer lugar”. Visionária, sua poesia telepática nos conta de seu mundo e do nosso. Ela acompanha um diretor que adapta seu trabalho para o teatro, ela dialoga com um matemático... No entanto, Hélène não pode nem falar e nem segurar uma caneta, ela nunca aprendeu a ler ou escrever. Foi quando tinha 20 anos que sua mãe descobriu que ela podia se comunicar organizando letras plastificadas sob uma folha de papel. Um dos numerosos mistérios de quem apelidou Babouillec...