Julie Gavras



Participação nos filmes

  • A Culpa é do Fidel!
  • A Culpa é do Fidel!
  • A Culpa é do Fidel!
  • A Culpa é do Fidel!
  • A Culpa é do Fidel!

A Culpa é do Fidel!

La Faute à Fidel (França, Itália 2006). De Julie Gavras. Com Julie Depardieu, Marie Kremer, Martine Chevallier, Olivier Perrier, Stefano Accorsi. Em cores/99’.

Sinopse

Sinopse

Anna tem 9 anos, mora em Paris e leva uma vida regrada e tranqüila, dividida entre a escola católica e o entorno familiar. O ano é 1970 e a prisão e morte do seu tio espanhol, um comunista convicto, balança a família. Ao voltar de uma viagem ao Chile, logo após a eleição de Allende, os pais de Anna estão diferentes e a vida familiar muda por completo: engajamento político, mudança para um apartamento menor, trocas constantes de babás, visitas inesperadas de amigos estranhos e barbudos... Assustada com essa nova realidade, Anna resiste à sua maneira. Aos poucos, porém, realiza uma nova compreensão do mundo. Baseado no livro de Domitila Calamai.

  • Late Bloomers - O Amor não tem Fim
  • Late Bloomers - O Amor não tem Fim
  • Late Bloomers - O Amor não tem Fim
  • Late Bloomers - O Amor não tem Fim
  • Late Bloomers - O Amor não tem Fim

Late Bloomers - O Amor não tem Fim

3 fois 20 ans (Bélgica, França, Grã-Bretanha (Reino Unido, UK) 2010). De Julie Gavras. Com William Hurt. Em cores/95’.

Sinopse

Sinopse


Adam e Mary são casados há mais de trinta anos; passaram mais da metade de suas vidas juntos. Seus filhos já saíram de casa há muito tempo e parece que Adam e Mary aproveitaram e suportaram todos os altos e baixos da vida juntos. Eles estão ansiosos para o que deveria ser uma fase mais calma. Mas certas irritações começam a tomar suas vidas, e eles são obrigados a reconhecer que os anos estão agora cobrando seu preço. Adam, antes um bem-sucedido arquiteto, vê sua carreira e situação financeira não serem mais prósperas como antes, enquanto Mary está com problemas de memória, o que pode ser um indício de demência. Lentamente, Adam e Mary começam a se afastar – até a separação parecer inevitável.