Leïla Bekhti

Leïla Bekhti

Biografia

Após ter estudado teatro quando cursava o segundo grau, Leïla Bekhti aceitou vários pequenos empregos sucessivos enquanto tentava conseguir seu lugar ao sol no mundo da comédia. Encorajada por amigas, participou da seleção de elenco de <span style="font-style: italic;">Satã</span>, um filme de Kim Chapiron estrelado por Vincent Cassel, onde obteve o papel de Yasmine. Sua interpretação foi muito apreciada e ela conseguiu papéis em filmes como <span style="font-style: italic;">Paris, Te Amo</span> (2005) e no filme dirigido pelo novato Roschdy Zem, <span style="font-style: italic;">Má fé</span> (2006). Sua carreira estava lançada. Começou então a alternar papéis no cinema e na televisão, atuando, por exemplo, ao lado de Gérard Jugnot em “Ali Baba et les 40 voleurs” (TV). <br /> <br />Em 2008 trabalhou em dois grandes filmes policiais franceses: <span style="font-style: italic;">Mesrine: Inimigo Público nº 1</span>, de Jean-Francois Richet, onde contracenou com Vincent Cassel e <span style="font-style: italic;">O Profeta</span>, de Jacques Audiard, Grande Prêmio do Júri do Festival de Cannes. Concomitantemente às grandes produções, trabalhou também em filmes intimistas rodados no Magreb, de onde é originária, como <span style="font-style: italic;">La Source des femmes</span> de Radu Mihaileanu. Em 2010 atuou em <span style="font-style: italic;">Tudo o que reluz</span>, codirigido por Géraldine Nakache e Hervé Mimran, antes de juntar-se à equipe do primeiro filme de Anne Depetrini, <span style="font-style: italic;">Il reste du jambon?</span>.




Participação nos filmes

  • A Fonte das Mulheres
  • A Fonte das Mulheres
  • A Fonte das Mulheres
  • A Fonte das Mulheres

A Fonte das Mulheres

La Source des femmes (Bélgica, França, Itália 2011). De Radu Mihaileanu. Com Hafsia Herzi, Leïla Bekhti. Em cores/136’.

Sinopse

Sinopse


Em algum lugar entre a África do Norte e o Oriente-Médio, as mulheres vão buscar água na fonte, no cume da montanha, sob o sol que queima. Desde sempre. Leila, recém casada, propõe para as mulheres de fazer greve do sexo até conseguir uma ajuda dos homens.

  • Carnívoras
  • Carnívoras
  • Carnívoras

Carnívoras

Carnivores (Bélgica, França 2018). De Jérémie Renier, Yannick Renier. Com Hiam Abbass, Leïla Bekhti, Zita Hanrot. Em cores/’.

Sinopse

Sinopse

Mona sempre sonhou em ser atriz, mas é Sam, sua irmã mais nova, que se torna uma atriz famosa. Sem recursos, Mona é obrigada a morar com Sam, que, fragilizada por uma filmagem difícil, propõe que Mona se torne sua assistente. Aos poucos, Sam vai negligenciando seus papéis de atriz, de esposa, de mãe e acaba se perdendo.
Escolhendo Amar

Escolhendo Amar

Choisir d'Aimer (França 2008). De Rachid Hami. Com Leïla Bekhti, Louis Garrel, Rachid Hami. Em cores/60’.

Sinopse

Sinopse

Em Paris, uma estudante universitária tenta levar uma vida dupla, apaixonada por seu namorado francês e fiel à sua família argelina, principalmente, o seu pai, conservador e tradicional. Na Argélia, o seu primo leva uma vida paralela, se preparando para deixar sua namorada e ir para Paris
  • Leila
  • Leila
  • Leila
  • Leila
  • Leila

Leila

Toi, moi, les autres (França 2010). Com ABEL JAFRI, Chantal Lauby, Leïla Bekhti. Em cores/90’.

Sinopse

Sinopse

De Audrey Estrougo.


Gab está com a vida acertada: uma noiva, um casamento sendo organizado, uma família rica. Leila mal consegue viver a sua: os estudos de Direito, um irmão mais novo problemático, a mãe que morreu cedo… Quando Gab atropela o irmão mais novo de Leila, há o choque entre os dois mundos e o início de uma grande história de amor, que vai mexer com a realidade de maneira violenta. Tina, amiga íntima de Leila, é ameaçada a ser levada para a fronteira e presa por não ter documentação legal. Enquanto o mundo de Leila se desmorona, Gab está pronto para fazer tudo por ela, até se opor ao seu pai, chefe de polícia. E quem foi que disse que nada era impossível em se tratando de amor..?

  • Má Fé
  • Má Fé
  • Má Fé
  • Má Fé
  • Má Fé

Má Fé

Mauvaise Foi (França 2006). De Roschdy Zem. Com Cécile de France, Leïla Bekhti, Pascal Elbé, Roschdy Zem. Em cores/88’. Classificação etária Livre.

Sinopse

Sinopse

Clara, judia, e Ismael, muçulmano, são um casal feliz até o dia em que ela engravida. A relação do casal passará, então, por duras provas e terá de achar seu caminho entre o peso das tradições, os reflexos identitários e outras pressões familiares.

  • Nós ou nada em Paris
  • Nós ou nada em Paris
  • Nós ou nada em Paris

Nós ou nada em Paris

Nous trois ou rien (França 2015). Com Gérard Darmon, Leïla Bekhti. Em cores/107’. Classificação etária 12.

Sinopse

Sinopse

Em tom de comédia, Kheiron, diretor do filme, realizou um conto universal de amor à família em que nos mostra o destino incomum de seus pais, eternos otimistas, que partiram de uma pequena aldeia no sul do Irã indo viver no centro de Paris.
  • O Profeta
  • O Profeta
  • O Profeta
  • O Profeta
  • O Profeta

O Profeta

Un prophète (França 2008). De Jacques Audiard. Com Leïla Bekhti, Reda Kateb. Em cores/155’.

Sinopse

Sinopse

Condenado a seis anos de prisão, Malik El Djebena, meio árabe, meio córsico, é analfabeto. Ao chegar à prisão, totalmente sozinho, ele parece mais jovem e mais frágil do que os outros presos. Ele está com 19 anos. O líder da facção dos córsicos dá a Malik uma série de “missões” a serem cumpridas. Ele aprende rápido e se fortalece, ganhando a confiança do chefe da facção. Malik usa toda a sua inteligência para desenvolver discretamente o seu plano. * O filme venceu o 9 Prêmios César 2010, entre eles o Prêmio na categoria Melhor filme, Melhor Direção e Melhor Ator -Tahar Rahim. * "2h29 de cinema emocionante, que agarra todos os nossos sentidos e pensamentos sem afrouxar e não dá um segundo de descanso. (...) Filme de gênero atemporal, O profeta é um soco ruidoso no estômago. E ressoa por muito tempo." – Les Inrockuptibles

  • Paris, Te Amo
  • Paris, Te Amo
  • Paris, Te Amo
  • Paris, Te Amo
  • Paris, Te Amo

Paris, Te Amo

Paris je t'aime (Alemanha, França, Liechtenstein, Suíça 2005). De Bruno Podalydes, Alexander Payne, Alfonso Cuaron, Christopher Doyle, Daniela Thomas, Ethan Coen, Isabel Coixet, Joel Coen, Oliver Schmidt, Richard La Gravenese, Sylvain Chomet, Tom Tikwer, Vincenzo Natali, Walter Salles, Wes Craven. Com Juliette Binoche, Bob Hoskins, Cyril Descours, Elijah Wood, Emily Mortimer, Leïla Bekhti, Maggie Gyllenhaal, Nathalie Portman, Nick Nolte, Willem Dafoe. Em cores/120’.

Sinopse

Sinopse


Contar em cinco minutos a história de um encontro amoroso em uma locação de Paris. Esse foi o desafio aceito por 18 diretores de todas as partes do mundo, resultando no longa-metragem Paris Je t’Aime. Coma cidade que sempre inspirou o cinema, Paris não vive apenas de seu passado e o ponto de partida dos cineastas envolvidos com o projeto foi filmar a capital francesa dos dias de hoje, buscando revelar aspectos inéditos na tela grande. Em sua maioria estrangeiros, os diretores exploraram a realidade parisiense, sem jamais perderem o olhar amoroso sobre a cidade.

Satã

Sheitan (França 2006). Com Leïla Bekhti, Vincent Cassel. Em cores/88’.

Sinopse

Sinopse

Na véspera do Natal, um grupo de jovens decide sair da festa para ir à casa de campo de umas garotas. Quando chegam conhecem Joseph, o estranho caseiro. E assustadoras situações começam a acontecer.
  • Tudo o que reluz
  • Tudo o que reluz
  • Tudo o que reluz
  • Tudo o que reluz
  • Tudo o que reluz

Tudo o que reluz

Tout ce qui brille (França 2010). De Géraldine Nakache. Com Audrey Lamy, Leïla Bekhti, Lin-Dan Pham, Virginie Ledoyen. Em cores/100’.

Sinopse

Sinopse

Ely e Lila são como irmãs. Elas se conhecem desde a infância, compartilham tudo e sonham juntas com uma outra vida. Vivem no mesmo subúrbio, a dez minutos de Paris. Hoje, Ely e Lila não querem mais ficar a dez minutos da própria vida. De pequenas trapaças a grandes mentiras, vão fazer de tudo para tentar penetrar num mundo que não é o delas, onde tudo parece possível. Mas nem tudo que reluz...