Mahamat Saleh Haroun

Mahamat Saleh Haroun

Biografia

Mahamat Saleh Haroun nasceu no Chade, em Abéché em 1961. Depois de cursar o Conservatoire Libre du Cinéma Français, estudou jornalismo na IUT de Bordeaux em 1986. Durante 5 anos trabalha na imprensa regional e numa rádio livre local, tornando-se diretor de programação. Em 1994, Mahamat Saleh Haroun volta ao cinema realizando seu primeiro curta-metragem. <a href="/cinemateca/cinema/titulos/?info=titulo-ficao&filme=135"><span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Abouna </span></a>é seu segundo longa-metragem. Principais trabalhos: <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Maral Tanié</span> (26 minutos, 1994, curta-metragem, ficção). <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">Goï-Goï</span> (1995, curta-metragem, ficção). <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Sotigui Kouyaté, um griot moderne</span> (1996, média-metragem, documentário). <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Un thé au Sahel</span> (1998, curta-metragem, ficção).<span style="font-style: italic; font-weight: bold;"> Bye Bye Africa</span> (1999, longa-metragem, ficção). <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Letter from New York</span> (2001, curta-metragem, ficção). O seu filme <a href="/cinemateca/cinema/?filme=3130"><span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Um homem que grita</span></a>, ganhou o Prêmio do Jury no Festival de Cannes de 2010.




Participação nos filmes

  • Abouna
  • Abouna
  • Abouna
  • Abouna
  • Abouna

Abouna

(Chade, França 2002). De Mahamat Saleh Haroun. Com Ahidjo Mahamat Moussa, Garba Issa, Hamza Moctar Aguid, Koulsy Lamko, Mounira Khalil, Zara Haroun. Em cores/81’.

Sinopse

Sinopse

Tahir, de 15 anos, e Amine, de 8, descobrem ao acordar que seu pai foi embora misteriosamente. A frustração é maior, porque naquele dia, ele devia ser árbitro do jogo de futebol entre os garotos do bairro. Decidem portanto sair à sua busca pela cidade, em todos os lugares em que costumava ir. Cansados, acabam refugiando-se em salas de cinema, onde um dia, acreditam reconhecer seu pai na tela e roubam as latas do filme...

CONFIRA O DOSSIÊ PEDAGÔGICO DO FILME DISPONIBILIZADO EM FRANCÊS PELO CNC

* Representante oficial do Chade no Oscar 2003 *

  • Grigris
  • Grigris
  • Grigris
  • Grigris

Grigris

(França 2013). De Mahamat Saleh Haroun. Em cores/101’.

Sinopse

Sinopse

Apesar de uma perna paralisada, que poderia ter impedido a maioria dos caminhos, Grigris, de 25 anos, sonha em ser dançarino. Um desafio, mas seus sonhos são frustrados quando seu sogro cai gravemente doente. Para salvá-lo, Grigris decide trabalhar para traficantes de gasolina.

O Último Senhor dos Balcãs

Les Seigneurs des Balkans (França 2005). De Mahamat Saleh Haroun. Em cores/’.

Sinopse

Sinopse

A saga idealista e apaixonada de um jovem turco no meio das Guerras Balcânicas, principalmente entre Grécia, Macedônia e Albânia, na primeira metade do século XX. São quatro episódios que focam períodos turbulentos na Península Balcânica de 1892 a 1949

Sexo, quiabo e manteiga com sal

Sexe, gombo & beurre Salé (França 2008). De Mahamat Saleh Haroun. Em cores/81’.

Sinopse

Sinopse

A costa-marfinesa Hortense vive em Bordeaux, na França, onde trabalha como enfermeira. Casada e mãe de dois filhos, ela decide subitamente abandonar sua família para ir viver com o amante francês, Jean Paul. Mas Malik, seu marido sexagenário e machista, definitivamente não está preparado para aceitar tal traição e assumir as duas crianças sozinho. Para completar, descobre que seu filho mais velho, Dani, é gay. Aos poucos, com a ajuda de três mulheres, a cunhada que acaba de chegar da África, a vizinha solitária e a bela e misteriosa Amina, ele tenta refazer a vida.
  • Sotigui Kouyate, um griot moderno
  • Sotigui Kouyate, um griot moderno
  • Sotigui Kouyate, um griot moderno

Sotigui Kouyate, um griot moderno

Sotigui Kouyate, un griot moderne (Chade 1997). De Mahamat Saleh Haroun. Com Sotigui Kouyate. Em cores/58’.

Sinopse

Sinopse

Bamako, Julho de 1996. Sotigui Kouyate retorna à sua cidade natal para o seu sexagésimo aniversário, depois de trinta anos de ausência.

  • Temporada de Seca
  • Temporada de Seca
  • Temporada de Seca
  • Temporada de Seca

Temporada de Seca

Daratt (Chade, França 2006). De Mahamat Saleh Haroun. Com Mahamat-Saleh Haroun. Em cores/105’.

Sinopse

Sinopse


Atim tem 16 anos e mora no Chad. Quando o governo concede anistia aos criminosos da guerra civil, o avô de Atim lhe dá uma arma para executar o homem que matou seu pai. O jovem deixa seu vilarejo e parte para a capital, procurando este homem desconhecido. Logo consegue identificá-lo: trata-se de Nassara, ex-criminoso de guerra, agora dono de uma pequena padaria. Procurando se aproximar dele, Atim consegue um emprego como aprendiz de padeiro. Quando Nassara começa a tratá-lo como filho, o garoto fica dividido entre o seu afeto natural e a promessa que fez ao avô.
* Prêmio Especial do Júri em Veneza 2006. *

  • Um Homem que Grita
  • Um Homem que Grita
  • Um Homem que Grita
  • Um Homem que Grita

Um Homem que Grita

Un homme qui crie (Bélgica, Chile, França 2010). De Mahamat Saleh Haroun. Em cores/92’.

Sinopse

Sinopse

República do Chade nos dias de hoje. Adam, sessenta e poucos anos, é um ex-campeão de natação e trabalha na piscina de um hotel de luxo na capital N’Djamena. Quando investidores chineses compram o hotel, ele é forçado a se demitir para que seu filho Abde assuma a função e se sente humilhado. O país está à beira de uma guerra civil. Forças rebeldes atacam o governo, que pede para a população contribuir com o “esforço de guerra” enviando dinheiro ou um voluntário com idade para combater. Constantemente, o governo local cobra de Adam sua parte na contribuição. Mas ele não tem dinheiro, tem apenas um filho. * Prêmio do Júri em Cannes 2010 *; * Vencedor do Prêmio Humanidade na Mostra Internacional de Cinema de SP *.