Max Ophüls

Max Ophüls

(1902 — 1957)

Biografia

Nascido Maximillian Oppenheimer na Alemanha e de origem judéia, fugiu para França em 1933 após o incéndio do Reichstag. Se tornou cidadão francês em 1938. <br />Após uma carreira no teatro, se lançou no cinema. Dividiu a sua carreira entre a Europa e os Estados-Unidos, onde dirigiu alguns grandes filmes como <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Sans lendemain</span> e <span style="font-weight: bold; font-style: italic;">De Mayerling à Sarajevo</span>. Mas foi na França que dirigiu as suas mais importantes obras : <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">La Ronde</span> (1950), <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Le Plaisir</span> (1952), <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Madame de... </span>(1953), com a sua atriz preferida, Danielle Darrieux, e <span style="font-style: italic; font-weight: bold;">Lola Montès</span> (1955). O Jacques Demy dedicou o seu filme<span style="font-style: italic; font-weight: bold;"> Lola</span> à este filme.




Participação nos filmes

  • Conflitos de Amor
  • Conflitos de Amor
  • Conflitos de Amor
  • Conflitos de Amor
  • Conflitos de Amor

Conflitos de Amor

La Ronde (França 1950). De Max Ophüls. Com Jean-Louis Barrault, Danielle Darrieux, Gerard Philippe, Serge Reggiani, Simone Signoret. Em preto e branco/97’.

Sinopse

Sinopse


Ritmado pelo maestro do jogo, o círculo passa da prostituta para o soldado, do soldado para a camareira, da camareira para o filho de família, deste para Emma, mulher casada, e de Emma para o seu marido, que se interessa pelo poeta, que abandona ela por uma atriz, que prefire um conde e este volta para a prostituta, fechando o círculo. É a ronda do amor, a eterna luta dos sexos, a fraqueza e a astúcia femininas, a credulidade e o egoísmo masculinos...
Baseado na peça de Arthur Schnitzler.
Um dos grandes clássicos do cinema francês.

De Mayerling até Sarajevo

De Mayerling até Sarajevo

De Mayerling à Sarajevo (França 1940). De Max Ophüls. Com Aimé Clariond, Aimos, Edwige Feuillère, Gabrielle Dorziat, Jean Debucourt, Jean Worms, John Lodge. Em preto e branco/84’.

Sinopse

Sinopse

Enquanto uma guerra estourava, Max Ophüls filmava o episódio que causa 1ª Guerra Mundial... A Áustria dos Habsbourg com a aventura de François Ferdinand e de Sophie Chotek, que Ophüls intitulou De Mayerling à Sarajevo...
  • Desejos Proibidos
  • Desejos Proibidos

Desejos Proibidos

Madame de... (França 1953). De Max Ophüls. Com Danielle Darrieux, Vittorio De Sica. Em preto e branco/105’.

Sinopse

Sinopse

Paris, final do século XIX. Louise , esposa do general André, vende um par de brincos que ganhou de presente do marido para pagar suas dívidas. A joia volta então às mãos de André, que entrega à sua amante, Lola, que partirá em breve. Por fim, os mesmos brincos encontram o Barão Fabrizio Donati, um diplomata italiano por quem Louise cai de amores.
  • Lola Montès
  • Lola Montès
  • Lola Montès
  • Lola Montès

Lola Montès

(Alemanha, França, Luxemburgo 1955). De Max Ophüls. Em cores/115’. Classificação etária 14 anos.

Sinopse

Sinopse

A história de Lola Montès (1821-1861), uma dançarina e cortesã do século XIX que ficou célebre por romances escandalosos com o compositor Franz Liszt e com o Rei Ludwig I da Baviera. Depois de devotar sua vida à luxúria, ela se torna a principal atração de um circo. Em meio a trapezistas, anões e palhaços, e diante da avidez macabra do público, ela narra episódios de sua trajetória.

Filme rechaçado pela crítica e público na época de seu lançamento, retalhado na montagem pelos produtores, Lola Montès é considerado hoje uma das mais importantes obras da história do cinema, cultuada pelas cinematecas de todo o mundo. Rigorosa denúncia do sensacionalismo espetacular e da mídia, o filme foi posteriormente saudado por personalidades como François Truffaut, segundo o qual "quem nunca viu Lola Montès não pode entender de cinema".

  • O Prazer
  • O Prazer
  • O Prazer

O Prazer

Le Plaisir (França 1952). De Max Ophüls. Com Danielle Darrieux, Ginette Leclerc, Jean Gabin, Jean Servais, Madeleine Renaud, Pierre Brasseur. Em preto e branco/95’.

Sinopse

Sinopse


Adaptação de três romances de Maupassant : "le Masque", "la Maison Tellier" et "le Modele". Três histórias sobre o prazer.

  • Os Herdeiros Risonhos
  • Os Herdeiros Risonhos
  • Os Herdeiros Risonhos

Os Herdeiros Risonhos

Lachende Erben (Alemanha 1933). De Max Ophüls. Em preto e branco/86’.

Sinopse

Sinopse


Milionário fabricante de bebidas morre e deixa sua herança ao sobrinho, um alcoólatra mal-quisto pela família. De acordo com o testamento do velho, a fortuna só permanecerá em suas mãos se ele não beber uma gota de álcool. Cientes da cláusula, seus parentes farão de tudo para que ele descumpra a regra. Comédia feita sob encomenda para os estúdios da UFA, Os herdeiros risonhos conta com a participação de Heinz Rühmann, grande astro do cinema alemão dos anos 1930. Com a subida dos nazistas ao poder, o filme foi prontamente proibido.