Nadir Mokneche

Nadir Mokneche



Participação nos filmes

  • Adeus Marrocos
  • Adeus Marrocos
  • Adeus Marrocos
  • Adeus Marrocos
  • Adeus Marrocos

Adeus Marrocos

Goodbye Morocco (França, Marrocos 2012). De Nadir Mokneche. Com Faouzi Bensaïdi, Lubna Azabal, Rasha Bukvic. Em cores/102’.

Sinopse

Sinopse

Dounia, divorciada e com um filho, vive com um arquiteto sérvio no Tanger. Tal relação é vista como escandalosa pelos olhos de uma família marroquina tradicional. O casal comanda uma reforma onde se restauram túmulos cristãos do século IV. Donia se lança em um negócio lucrativo, esperando ganhar muito rápido para que possa sair do Marrocos com seu filho e seu amante. Mas um dos operários da obra desaparece...

Le Harem de Mme Osmane

(França 2000). De Nadir Mokneche. Em cores/95’.

Sinopse

Sinopse

Argel, 1993. Início da guerra civil. Perfis de argelinas durante o toque de recolher. A Sra. Osmane é uma árabe que veste um tailleur Nina Ricci e óculos Christian Dior. Proprietária de uma villa em Argel, seu «harém» é constituído de um pequeno grupo de locatários, homens e mulheres, sobre os quais reina como uma déspota. Temerosa de perder sua respeitabilidade, a ex-resistente da guerra da independência teima em controlar os movimentos dos moradores da casa ao invés de lutar contra as suas próprias frustrações.
  • Lola Pater
  • Lola Pater
  • Lola Pater
  • Lola Pater

Lola Pater

(Bélgica, França 2017). De Nadir Mokneche. Com Fanny Ardant, Nadia Kaci. Em cores/95’.

Sinopse

Sinopse

Após a morte de sua mãe, Zino decide reencontrar seu pai, Farid. Mas, há 25 anos, Farid virou Lola.
Os encantos de Paloma

Os encantos de Paloma

Délice Paloma (França 2007). De Nadir Mokneche. Com Biyouna, Nadia Kaci. Em cores/134’. Classificação etária 14 anos.

Sinopse

Sinopse

Madame Argélia é o nome que Zineb Agha adotou em homenagem ao seu país. Ela é uma solitária senhora de 50 anos, de origem humilde. Numa Argélia em plena transformação, não há trambique que ela não faça para ganhar dinheiro e subir na vida. Ela, inclusive, comanda uma boate famosa, onde trabalham mulheres lindas. Paloma, a sua mais nova “funcionária”, é uma delas. A jovem chama a atenção de todos, inclusive a de Riyad, o filho da cafetina. A compra das Termas Caracalla, dá a Madame Argélia uma chance de recomeçar a vida, mas ela logo perceberá que seus esquemas foram longe demais. OBS : a cópia em 35mm está sem legendas.
Viva Argélia!

Viva Argélia!

Viva Laldjérie (França 2004). De Nadir Mokneche. Com Lubna Azabal. Em cores/113’. Classificação etária 14 anos.

Sinopse

Sinopse

Argel, inverno de 2003. Uma mãe, sua filha e uma prostituta vivem, desde o início das violências terroristas, em uma pensão no centro da cidade. Goucem, a filha, já tem uma vida emancipada, e divide-se entre o trabalho como balconista de uma loja de fotos, um amante generoso mas casado, e movimentados finais de semana em casas noturnas. Fifi, a amiga fiel e confidente, se prostitui sob a proteção de alguém poderoso. Papicha, a mãe, devora pizzas diante da televisão, dividida entre o medo e a nostalgia de sua antiga celebridade enquanto dançarina de cabaré. À morte que as rodeia, de maneira insinuante e insistente, elas respondem: não!