René Clair



Participação nos filmes

  • 14 Juillet
  • 14 Juillet
  • 14 Juillet
  • 14 Juillet

14 Juillet

(França 1933). De René Clair. Em preto e branco/86’.

Sinopse

Sinopse

Os amores de um motorista de taxi e de uma florista. Uma evocação sentimental do Paris popular com uma trilha sonora famosa, que simboliza até hoje o glamour dos anos 30. Sem dúvida, um dos melhores filmes de René Clair!
  • As Grandes Manobras
  • As Grandes Manobras
  • As Grandes Manobras
  • As Grandes Manobras
  • As Grandes Manobras

As Grandes Manobras

Les Grandes manoeuvres (França 1955). De René Clair. Com Brigitte Bardot, Gerard Philippe, Jean Dessailly, Michele Morgan, Pierre Dux. Em cores/107’. Classificação etária 14 anos.

Sinopse

Sinopse

Uma cidade do interior, às vésperas da Primeira Guerra em 1914. Armand, tenente de cavalaria, aposta com um amigo que é capaz de seduzir a primeira mulher que vir pela frente. Esta vem a ser a costureira da rua principal. Primeiramente, ela recusa. Finalmente, cede, quando pensa que o belo oficial foi morto em duelo. O que seria um romance casual com uma bela moça parisiense transforma-se então numa grande paixão. Contudo, um ciumento vai revelar toda a história da aposta. Magoada, Marie-Louise observa a tropa partir para as manobras, prenúncio da verdadeira guerra. * Prêmio Louis Delluc 1955 *

Le Silence est d'Or

(França 1946). De René Clair. Em cores/98’.

Sinopse

Sinopse

Em 1910, uma jovem que chegou do interior, seduz, sem querer, o produtor de um estúdio de cinema e apaixona-se pelo filho adotivo do cineasta.
  • Les Belles de nuit
  • Les Belles de nuit
  • Les Belles de nuit
  • Les Belles de nuit
  • Les Belles de nuit

Les Belles de nuit

(França 1952). De René Clair. Com Gerard Philippe, Gina Lollobrigida, Jean Parédès. Em preto e branco/99’.

Sinopse

Sinopse


Claude é professor de música. Abandonado à mediocridade de sua vida, o artista se refugia em seus sonhos: aí está ele em 1900, rodeado pelas mais sedutoras mulheres, que disputam seu coração. Mas pouco a pouco, o lindo sonho se transforma em pesadelo...

O Homem e as Imagens

L'Homme et les Images (França 1967). De Eric Rohmer. Com Jean Rouch, Jean-Luc Godard, René Clair. Em preto e branco/34’.

Sinopse

Sinopse

Uma série de entrevistas com René Clair, Jean Rouch e Jean-Luc Godard sobre temas diversos: a técnica cinematográfica e sua história, do mudo ao falado, a arte do espetáculo, o teatro, o cinema, o romance, a escritura e a imagem, o público, a televisão...
O vingador invisível

O vingador invisível

And then we were none (França 1945). De René Clair. Em preto e branco/97’.

Sinopse

Sinopse

Clássico filme de suspense assinado por René Clair em seu período hollywoodiano, quando o cineasta fugiu da França por causa da presença dos nazistas no seu país. O Vingador Invisível é a primeira adaptação para o cinema da novela de mistério O Caso dos 10 Negrinhos, de Agatha Christie. Nesta modelar história da dama do crime, 10 personagens com culpa no cartório se encontram num castelo situado numa remota ilha da costa inglesa. Eles não sabem porque estão lá, até descobrirem que um juiz louco os levou para julgá-los por crimes do passado. Assim, cada um dos convidados morre de uma maneira misteriosa. Para dar cabo ao filme, René Clair contou com a presença de um elenco impecável, entre os atores estão Barry Fitzgerald (Como Era Verde o meu Vale, Cidade Nua), Walter Huston (O Tesouro de Sierra Madre, Fogo de Outono) e Louis Hayward (Maldição, Piratas de Capri). Esquecida das novas gerações, esta jóia finalmente é recuperada em DVD e lançada pela primeira vez no Brasil.
Paris adormecida

Paris adormecida

Paris qui dort (França 1923). De René Clair. Em cores/35’.

Sinopse

Sinopse


O guarda da Torre Eiffel descobre um dia que toda Paris está dormindo. Só uns poucos que chegaram de avião escaparam da sonolência que dura quatro dias. Juntos eles passeiam pela cidade e descobrem a causa dessa paralisia, um raio inventado por um cientista.

  • Por ternura também se mata
  • Por ternura também se mata

Por ternura também se mata

Porte des Lilas (França 1956). De René Clair. Com Dany Carrel, Georges Brassens, Henri Vidal, Pierre Brasseur. Em preto e branco/96’.

Sinopse

Sinopse

Juju, solteirão boêmio, vive em Porte des Lilas (bairro de Paris). Certo dia, fugindo da polícia, um bandido se refugia em sua casa. Maria, sua grande paixão, descobre a presença do foragido e vai visitá-lo. Este se aproveita de sua ingenuidade romântica e a conquista. Ela consegue dinheiro para sua fuga e sofre uma grande desilusão. * Oscar 1958: Indicado ao melhor filme estrangeiro.* * British Academy Awards 1958: Indicado ao melhor filme estrangeiro e melhor interpretação masculina (Pierre Brasseur).*