Diretores e Atores

Conheça melhor os profissionais envolvidos na produção de filmes franceses

Há 5090 registros disponíveis.

Abdellatif Kechiche

Abdellatif Kechiche

Diretor

Nascido na Tunísia, Abdellatif Kechiche chegou a Nice com 6 anos e fez curso de teatro no Conservatório de Antibes. Em "A Culpa é de Voltaire" descreve o dia a dia de um imigrante ilegal, entre detenções e encontros amorosos, e revela seu talento de observador cuidadoso, mas também seu lado romântico e seu amor pelos atores (Sami Bouajila e Aure Atika). Suas qualidades lhe rendem o Leão de Ouro de Melhor Filme de Estreia em Veneza, em 2000. Em 2003, ele dirige "A Esquiva", ensaio sobre as restrições e aberturas causadas pela linguagem, que derruba vários clichês sobre os conjuntos habitacionais. O filme é elogiado por uma crítica unânime antes de se revelar o grande ganhador do César, com 4 prêmios, dentre os quais o de melhor filme. Ele então começa a filmar "O Segredo do Grão", que conta a luta de um velho imigrante argelino que quer abrir um restaurante em Sète e que é recebido triunfalmente no Festival de Veneza de 2007, além de receber quatro Césars, dentre os quais o de melhor diretor. O diretor também recebeu a Palma de Ouro do Festival de Cannes 2013 pelo filme "A vida de Adele".

Resumo

Abderrahmane Sissako

Abderrahmane Sissako

Diretor

Nascido em 1961 em Kiffa, Abderrahmane Sissako passou a infância em Mali. Em 1983 vai a Moscou onde estuda cinema no VGIK, instituto federal de estado de cinema. Em 1989 tira o diploma e roda seu primeiro filme Le Jeu,selecionado para a quinzena de diretores do festival de Cannes. Reside e trabalha na frança onde se dedica à carreira de cineasta. Seus principais trabalhos: Le Jeu, 1991, curta-metragem, ficção. O diretor sempre teve a África no coração de seus filmes, o exílio marcou seu cinema como demonstra o brilhante Octobre, média-metragem filmadoem Moscou (1993) ganhador de diversos prêmios, dentre os quais ''Un certain Regard'' no Festival de Cannes em  1993. Dirigiu também o curta-metragem Le Chameau et les bâtons flottants (1995). Posteriormente dirigiu o curta-metragem Sabriya (1996), dentro da coleção intitulada pela produtora ARTE de ''African Dreaming'' e  Rostov-Luanda (1997), (dentro do evento Dokumenta Kassel 97). Possui  olhar crítico tanto para a ficção e documentário, como para a política e para a poética, sendo um dos diretores que trata com mais precisão a cerca do continente africano nos últimos anos. Em 1998 ele termina seu longa-metragem de ficção La vie sur terre. ''En attendant le bonheur" foi selecionado no Festival de Cannes de 2000 para concorrer na categoria ''Un Certain Regard''. O seu filme chamado Bamako (2006) foi apresentado no Festival de Cannes, fora da competição e conheceu um grande sucesso mediático.

Resumo