Mediacine
Destaques da semana

GASTO DAS PRODUÇÕES AUDIOVISUAIS ESTRANGEIRAS NA FRANÇA TRIPLICOU EM 2016

É previsto um aumento ainda maior para 2017. Nos últimos anos, a França tem investido significativamente em sua infraestrutura técnica: novos estúdios foram construídos e estruturas já existentes foram melhoradas. O país também ocupa uma posição de destaque mundial nos setores de animação e efeitos especiais (VFX). Soma-se à esta conjuntura atrativa, a redução do gasto mínimo exigido das produtoras estrangeiras (de €1 milhão para €250 mil) para se candidatarem ao Crédito de Imposto Internacional (C2I) a partir deste ano. O C2I é um programa do CNC que apoia filmes estrangeiros cuja totalidade ou parte da produção tenha sido feita na França. 36 projetos foram beneficiados pelo C2I em 2016 totalizando um investimento de € 152 milhões (contra 22 projetos e €57 milhões em 2015). Dessa forma, espera-se que o número de produções estrangeiras realizadas no país aumente ainda mais, especialmente para o trabalho VFX que, até agora, tem dificuldade em atender ao requisito mínimo de 1 milhão de euros. A redução é atrativa também aos projetos brasileiros, incluindo as telenovelas, que tenham ambição de filmar na França no futuro. 


CINEMA BRASILEIRO CRESCE APESAR DA CRISE

Em um ano difícil para a economia do país, o audiovisual celebrou seu crescimento com uma expansão de mercado de mais de 10%, cerca de 140 filmes brasileiros lançados (contra 129 em 2015) e um aumento no número de ingressos vendidos (176 milhões, contra 173 milhões em 2015 – e 90 milhões em 2002), de acordo com o Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual (OCA). Na TV paga, os resultados também foram positivos, com um aumento da programação brasileira independente e a abertura de novas janelas de exibição. As estatísticas comprovam a consolidação do setor, graças ao fomento dos últimos 15 anos a partir da construção de políticas públicas sólidas para o setor audiovisual nacional. O esforço começou com a criação da Ancine, em 2001. Depois veio a criação do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) em 2008. Em 2013 e 2014, os recursos do FSA somaram 1,2 bilhão de reais. Em 2015, o montante saltou para 630 milhões e, em 2016, para 730 milhões. Outra medida de incentivo e dinamização do setor veio a partir da criação da lei 12.485, de 2011. Ao obrigar os canais a programarem um mínimo de horas de conteúdo nacional criado por produtoras independentes, a lei profissionalizou o setor, estimulando o pleno emprego na área. Além disso, a presença audiovisual brasileira no exterior sinaliza a boa forma do setor e também seu amadurecimento do ponto de vista econômico.


MOSTRA “A VIDA LÁ FORA: O CINEMA DE JEAN RENOIR” NO CCBB SP

Entre os dias 01 e 27 de fevereiro, o CCBB de São Paulo recebe a mostra que celebra a obra do cineasta francês Jean Renoir. O público vai poder conferir trinta filmes dirigidos pelo cineasta e mais dois documentários sobre sua vida e obra. Trata-se de uma retrospectiva dedicada, não somente a exibir as grandes obras deste cineasta superlativo, mas interessada também em ampliar e promover a discussão em torno do cinema de Jean Renoir. Será realizado um debate e um curso intensivo gratuito que abordará a trajetória do cineasta, atravessando algumas das questões que tornaram seu cinema famoso: realismo, relativismo, personagens e atores. A inscrição deve ser feita através do e-mail jeanrenoirccbb@gmail.com. Consulte programação completa aqui.


BALANÇO DOS FILMES FRANCESES NO EXTERIOR EM 2016

À ocasião do 19º Encontro do Cinema Francês em Paris, que aconteceu de 12 a 16 de janeiro, a Unifrance divulgou os números dos filmes franceses no exterior ao longo do ano de 2016. Obras francesas reuniram 34 milhões de espectadores nas salas estrangeiras, gerando um lucro de 230 milhões de euros. Foram 540 filmes franceses exportados, cinco deles ultrapassando a marca de um milhão de entradas. Além disso, os filmes de língua francesa foram responsáveis por 64% das entradas mundiais, número recorde em dez anos. Ainda assim, os filmes franceses tiveram uma queda de 63% no exterior em relação ao ano anterior, isso porque nenhum filme ou  coprodução francesa provou-se um grande sucesso nos EUA ou na China no ano passado. Um dos motivos atribuídos é que a EuropaCorp, produtora do cineasta Luc Besson, não lançou nenhum grande sucesso em 2016 como aconteceu com Lucy do próprio Besson ou Busca implacável de Pierre Morel em anos anteriores. No entanto, o quadro para 2017 é positivo: Valerian e a cidade dos mil planetas também de Besson e Demain tout commence de Hugo Gélin, estrelado por Omar Sy de Intocáveis (maior bilheteria da França no mundo em 2011), são algumas das apostas para reverter este quadro. Além disso, o volume satisfatório de filmes exportados, o dinamismo dos distribuidores franceses fora do país, a posição estabelecida da França como líder mundial do gênero independente e a diversidade de gêneros no Top 10 mantém o cinema francês confiante. 


FIPA INDUSTRY: "REIVENTEMOS A TV!"

A 30ª edição do FIPA, o Festival Internacional de Programas Audiovisuais acontece de 24 a 29 de janeiro de 2017 em Biarritz, na França. Concebido para decifrar as evoluções estruturais, econômicas, tecnológicas e artísticas do setor televisivo, o tema da edição deste ano é a reinvenção da TV. A programação conta com sessões de pitchs, masterclasses, estudos de caso, ateliês de encontros, compartilhamento de experiências e networking, conferências, mostras competitivas e múltiplos convidados (como Guillaume GallienneLaura SmetPippo DelbonoLeïla Slimani, Suliane Brahim, etc.). Na categoria Séries, entre os 10 títulos em competição, está Crime time – Hora de Perigo de Julien Trousselier, uma produção francesa rodada no Brasil. As conferências do Smart FIPA, que se debruça sobre os avanços tecnológicos da narração no futuro, vão explorar caminhos para que a criação supere as telas, com debates sobre a realidade aumentada dos hologramas, as interfaces homem/máquinas e a inteligência artificial e emocional que poderá transformar a narração em uma verdadeira experiência. Além disso, o FIPA deu destaque ontem, pela primeira vez, a projetos desenvolvidos pelos adidos audiovisuais para apoiar a criação digital e promover a competência francesa. Foram escolhidos dois programas que ilustram o esforço de internacionalização, diálogo intercultural e trocas profissionais desenvolvidos pela rede de adidos audiovisuais, composta por 50 profissionais que cobrem 113 países e buscam promover e acompanhar as indústrias culturais e criativas francesas no exterior, facilitar as trocas e encorajar iniciativas inovadoras para o setor. A programação completa está disponível no site


AQUARIUS NA DISPUTA DO CÉSAR

O filme de Kleber Mendonça foi indicado à categoria de filmes internacionais do César, a maior premiação do cinema francês. Depois de ser lançado em Cannes, onde disputou a Palma de Ouro, o longa participou de mais de 45 festivais, ganhou cerca de 20 prêmios e já foi distribuído comercialmente para 12 países. Na França fez aproximadamente 170 mil espectadores, um saldo considerado alto sobretudo para uma produção estrangeira. Em alta, Isabelle Huppert também foi indicada ao prêmio. É a 16ª vez que a atriz francesa disputa o César, que venceu somente em 1996, por Mulheres diabólicas de Claude Chabrol. A lista completa dos indicados está disponível aqui


7 INDICAÇÕES DO CINEMA FRANCÊS AO OSCAR 2017

Ganhadora do Globo de Ouro de melhor atriz por seu papel em Elle de Paul Verhoeven, Isabelle Huppert foi indicada, pela primeira vez em sua carreira, ao Oscar de melhor atriz. A última atriz francesa a levar a estatueta foi Marion Cotillard com La Môme, em 2007. Além disso, Le client de Asghar Farhadi compete na categoria melhor filme em língua estrangeira. Estão na disputa pelo prêmio de melhor filme de animação La Tortue Rouge de Michael Dudok de Wit e Ma Vie de Courgette de Claude Barras. Je ne suis pas votre nègre de Raoul Peck e Fuocoammare, par-delà Lampedusa de Gianfranco Rosi concorrem ao Oscar de melhor documentário. Por fim, Ennemis intérieurs de Sélim Azzazi disputa na categoria melhor curta metragem. 


ELLE VENCE O PRÊMIO ABRACCINE 2016

A Associação Brasileira de Críticos de Cinema anunciou os vencedores do Prêmio Abraccine 2016 e Elle de Paul Verhoeven foi escolhido como melhor longa metragem estrangeiro. Aquarius de Kleber Mendonça Filho ganhou como melhor longa brasileiro e Estado Itinerante de Ana Carolina Soares como melhor curta metragem. Diferente da maioria das premiações cinematográficas, o Prêmio Abraccine não é apenas uma enquete numérica entre os votantes, mas resultado de um rigoroso processo seletivo realizado a partir de discussões entre seus associados em todo o Brasil. 


22º LUMIÈRE AWARDS: O PRÊMIO DA IMPRENSA INTERNACIONAL

Organizado pela Académie des Lumières, o Lumière Awards reconhece a cada ano o melhor do cinema francês. 100 jornalistas de 20 países escolhem os melhores: filme, ator e atriz, ator e atriz revelação, diretor, cenário, fotografia, música, documentário, animação, filme francófono e primeiro filme. A atriz Marion Cotillard e o diretor do Festival de Cannes, Thierry Fremaux, serão homenageados na edição deste ano, que vai acontecer dia 30 de janeiro no Théâtre de la Madeleine em Paris. O vencedor do Globo de Ouro Elle de Paul Verhoeven, Divines de Houda Benyamina e Ma vie em Courgette de Claudes Barras estão entre os selecionados. A lista completa está disponível aqui


INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O ANIMA MUNDI

O Festival Internacional de Animação do Brasil recebe inscrições para sua 25ª edição, que será realizada entre os dias 18 e 23 de julho no Rio de Janeiro e 26 a 30 de julho em São Paulo. Os interessados podem se inscrever até o dia 13 de março no site. O evento recebe obras para as suas seções competitivas, que oferecerão um total de 76 mil reais em prêmios. As categorias são: longas, longas infantis, curtas, curtas infantis, curtas brasileiros, curtas estudantis, galeria (filmes experimentais) e portfólio. Também estão abertas as inscrições para cursos de animação oferecidos na sede do Anima Mundi no Rio de Janeiro, eles vão desde oficinas básicas de animação a cursos de stop motion e storyboard. Lembrando que o vencedor do Anima Mundi é qualificado para disputar o Oscar na categoria animação.


Em cartaz no Brasil
A morte de Luís XIV

ESTREIA 26.01 A morte de Luís XIV

Last days of Louis XIV (Espanha, França, Portugal 2016). Agosto 1715. Depois de uma caminhada, Luís XIV sente uma dor na perna. Nos próximos dias, o Rei continua a cumprir seus deveres e obrigações, mas seu sono é intranquilo, ele tem febre, mal se alimenta e está cada dia mais fraco. Albert Serra reconstrói os dias da lenta agonia do maior Rei da França, interpretado por Jean-Pierre Léaud, rodeado em seu quarto por seus fiéis seguidores e pelos médicos, e que marcará o fim de um reinado de 72 anos do Rei Sol.


A bailarina

ESTREIA 26.01 A Bailarina

Ballerina (Canadá, França 2016). De Eric Summer e Éric Warin. 1869, uma menina órfã decide abandonar a vida que tinha, fugindo para Paris em busca do sonho de se tornar uma grande bailarina. Chegando lá, ela decide se passar por outra pessoa e acaba conseguindo uma vaga no Grand Opera.


Na França

FILMES BRASILEIROS NO FESTIVAL DE CURTAS METRAGENS DE CLERMONT-FERRAND

A 39ª edição do Festival Internacional de Curtas-Metragens de Clermont-Ferrand, que acontecerá de 3 a 11 de fevereiro, selecionou dois títulos brasileiros para a 29ª Competição Internacional: Deusa de Bruna Callegari e Estado Itinerante de Ana Carolina Soares. Curtas-metragens produzidos em Universidades e Escolas de cinema e audiovisual brasileiras também serão exibidos no estande brasileiro no evento a partir de uma ação entre Forcine e Kinoforum com o apoio do Ministério das Relações Exteriores.


NA EUROPA

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA A 65ª EDIÇÃO DO FESTIVAL DE SAN SEBASTIAN

O prazo vai até o dia 16 de julho e as inscrições devem ser realizadas no site do evento, que acontecerá de 22 a 30 de setembro. Os filmes inscritos serão considerados para todas as categorias do festival (Seleção Oficial, Novos Diretores, Horizontes Latinos, Zabaltegi-Tabakalera, Pérolas, Culinayr Zinema e Savage Cinema) exceto para Cine en Construcción e para o Encontro Internacional dos Estudantes de Cinema, cujas convocatórias serão abertas nos meses de maio e junho, respectivamente. Entre os destaques está a seção Horizontes Latinos, que é reservada exclusivamente para filmes produzidos total ou parcialmente na América Latina, dirigidos por cineastas de origem latina ou que tenham como tema comunidades latinas. Esta seção oferece um prêmio de 35 mil euros destinados ao diretor e ao distribuidor espanhol do filme.


SIGA-NOS NO FACEBOOK, TWITTER E PELO RSS

Facebook Twitter RSS

Caso não consiga visualizar o conteúdo, clique aqui.

Caso não queira mais assinar este boletim, clique aqui.